Covid- 19: força-tarefa fiscaliza quatro pontos de vacinação para pessoas com mais de 80 anos

Após inspecionar o Estacionamento 13 do Parque da Cidade, o Pontão do Lago Sul, a Unidade Básica de Saúde da 612 sul e outra na 114/115 norte, MPDFT sugere melhorias para que atendimento à população idosa seja mais rápido e sem aglomeração

27
Print Friendly, PDF & Email

força-tarefa do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) que fiscaliza as medidas de combate à Covid-19 vistoriou na manhã desta terça-feira, 2 de fevereiro, três pontos de vacinação para pessoas com mais de 80 anos. As inspeções foram realizadas no Estacionamento 13 do Parque da Cidade, no Pontão do Lago Sul e na Unidade Básica de Saúde (UBS) da 612 sul. No período da tarde, mais um local foi visitado, uma UBS na EQN 114/115 da Asa Norte, onde foram relatados problemas no primeiro dia de atendimento.

No Parque da cidade, o tempo de espera estava entre 1h e 2h. Para dar mais agilidade, o MPDFT sugeriu que o preenchimento da ficha fosse feito pelos ocupantes do carro. No Pontão, também havia um grande número de pessoas na fila. Na UBS da 612 Sul, a espera estava entre 15 e 20 minutos.

O coordenador da força-tarefa, José Eduardo Sabo, relata que na Unidade Básica de Saúde visitada na Asa Norte, foram denunciados problemas na organização e duração da fila, no primeiro dia de vacinação, iniciada nesta segunda-feira. Durante a fiscalização, já foi verificada melhor organização, com os idosos sentados e mais agilidade no preenchimento das fichas cadastrais. “Portanto, as reclamações que tivemos sobre o primeiro dia, no segundo, percebemos uma melhora. Agora, estamos com uma situação bastante confortável. Vemos que a comunicação está sendo feita e a sociedade está comparecendo com todo o cuidado, declarou Sabo.

Publicidade

O MP tem acompanhado os postos de vacinação, as UBS e os drives-thrus. “Acreditamos que deve haver melhorias, no sentido de que sejam colocados mais integrantes das equipes de vacinação e mais atendentes para o preenchimento do cadastro, inclusive com a participação das próprias pessoas, para que haja, então, uma conferência a posteriori. Nós temos fiscalizado, porque entendemos que o Ministério Público deve estar presente para fazer com que a vacinação seja a mais célere e para que a saúde da população seja preservada e garantida”, explicou o coordenador da força-tarefa, procurador de Justiça José Eduardo Sabo.

A força-tarefa fará o mapeamento dos locais em que foram constatados problemas na aplicação das vacinas. Os representantes do MPDFT avaliarão, ainda, se houve eventuais descumprimentos de alguma orientação ou norma da Secretaria de Saúde.

Atuação da força-tarefa

O MPDFT se antecipou ao problema verificado no início da vacinação dos idosos com mais de 80 anos. No domingo, 31 de janeiro, um dia antes do início da vacinação deste grupo, o MPDFT expediu ofício em que requisitou providências para evitar aglomerações, dada a vulnerabilidade da população idosa. Também foram sugeridas soluções, como a imunização em sistema drive-thru e o agendamento pela internet. “Continuaremos esse acompanhamento, pois é nosso papel. É nossa função acompanhar esses atos e, inclusive, sugerir o aprimoramento do sistema. Temos trabalhado de forma articulada com o Governo do DF e assim também será nessa nova etapa do enfrentamento à Covid”, destacou o coordenador da força-tarefa.

FONTEMPDFT
Artigo anteriorSTF envia à Justiça Federal no DF ações penais de ex-senadores acusados de corrupção na Transpetro
Próximo artigoMPT quer impedir dispensa sem justa causa de empregado concursado