Projeto reduz tempo de hospitalização de vítimas da Covid-19

Equipe do Hospital de Base começa a ser treinada por profissionais do Hospital Sírio-Libanês para aperfeiçoar técnicas de recuperação

76


Print Friendly, PDF & Email

Uma equipe multiprofissional do Hospital de Base (HB) começou hoje (16) a receber treinamento de especialistas do Hospital Sírio-Libanês para aperfeiçoar os serviços de reabilitação de pacientes com coronavírus, o que possibilitará reduzir o tempo de recuperação e os custos de internação desses enfermos.

A capacitação faz parte do projeto Reab pós-Covid-19, vinculado ao programa ProadiSUS, do Ministério da Saúde, tendo como parceiro o Instituto de Gestão Estratégica em Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), que administra o Hospital de Base.

A primeira etapa do treinamento continua nesta terça (17). Até dezembro, ocorrerão outras duas reuniões de trabalho presenciais e duas remotas. A equipe do HB que participa do projeto é composta por colaboradores das áreas de unidade de terapia intensiva (UTI); de cuidados prolongados; de regulação; e de controle de infecção hospitalar.

Publicidade

No abertura do primeiro encontro entre as duas equipes, o superintendente do Hospital de Base, Lucas Seixas, destacou que a unidade já faz um bom trabalho de recuperação de pacientes, mas que sempre é possível aprimorar. “A ideia é extrapolar os protocolos de reabilitação para todas as enfermarias, não só na área de covid, entregando qualidade e segurança ao paciente desde a primeira consulta até a alta hospitalar”, afirmou.

Já a vice-presidente do Instituto Iges-DF, Mariela Souza de Jesus, ressaltou que “a parceria é muito importante para capacitar nossos colaboradores, especialmente neste momento de pandemia”.

A diretora de Inovação, Ensino e Pesquisa do Iges, Emanuela Ferraz, desejou boas-vindas à equipe do Sírio-Libanês. “Ficamos muito honrados de sermos escolhidos entre os cinco hospitais brasileiros do projeto.”

O projeto Reab pós Covid-19

O Reab pós Covid-19 faz parte do programa ProadiSUS, do Ministério da Saúde. Participam do projeto apenas cinco unidades hospitalares em todo o país: o Hospital de Base, o Hospital Geral de Fortaleza, o Hospital Geral de Palmas, o Hospital de Contagem e o Hospital do Trabalho de Curitiba.

À disposição do projeto de reabilitação haverá uma equipe composta por médico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, assistente social e enfermeiro especialista em integridade cutânea.