Cobertura vacinal de 47,3% contra poliomielite ainda reflete baixa

Secretaria de Saúde lembra que meta a ser alcançada é de 95% do público-alvo e que a campanha vai até 27 de novembro

50
Print Friendly, PDF & Email

Secretaria de Saúde divulgou nesta sexta-feira (6) o balanço parcial da Campanha de Vacinação da Poliomielite e da Multivacinação. A pasta alerta para o fato de que a procura da população ainda está baixa – apenas 47,3% do público-alvo da campanha contra a poliomielite foi vacinada no Distrito Federal até o momento, sendo que a meta a ser atingida é de 95%. Ao todo, 76.438 crianças de um ano a menores de cinco anos foram imunizadas nas unidades básicas de saúde (UBSs), de um público estimado em 160 mil crianças.

“É importante que os pais levem seus filhos para ampliarmos a cobertura vacinal e não termos a reintrodução da doença no país. Apesar de a poliomielite ter sido eliminada das Américas, e de o último caso no DF ter ocorrido em 1987, estamos com uma cobertura baixa. Assim, não tem como garantir que o vírus não entre no país sem a vacina”, alertou a enfermeira Fernanda Ledes, que atua na Área Técnica de Imunização da Secretaria de Saúde.

Para alcançar o objetivo, a Secretaria de Saúde prorrogou a campanha de vacinação contra a poliomielite até 27 de novembro. As UBSs estão abertas para receber a população e, com isso, aumentar a cobertura vacinal contra a doença.

Publicidade

A maior cobertura contra a poliomielite, até o momento, foi no público de dois anos a três anos de idade incompletos, com 19.701 vacinados (50,9%). A menor cobertura percentual ficou entre as crianças de um ano a dois anos incompletos: 19.021 vacinados (42,7%). Veja mais informações na arte a seguir.

Nas regiões de Saúde, a que está com a maior cobertura vacinal é a Região de Saúde Oeste, formada por Ceilândia e Brazlândia. Veja os dados completos:

Multivacinação

A Secretaria de Saúde também prorrogou até 27 de novembro a campanha de multivacinação, que tem como objetivo a atualização da situação vacinal de crianças e adolescentes que estão com alguma das vacinas da caderneta em falta.

Compareceram às salas de vacina do DF, até o momento, 145.974 crianças e adolescentes, das quais 97,8 mil tiveram que tomar alguma dose em falta. Esse número representa 67% do total do público que procurou os postos.

Na campanha, a Região de Saúde Sudoeste foi a que mais vacinou crianças e adolescentes de zero a 15 anos. Dos 38.367 que procuraram as salas de vacina, 27.641 estavam com alguma dose pendente e foram vacinados. Já a Região de Saúde Centro-Sul teve o maior percentual de pessoas que procuraram as unidades e que estavam com alguma vacina pendente. Veja os números:

Ainda na campanha de multivacinação, a faixa etária que mais apresentou alguma dose de vacinas do calendário básico com alguma pendência foi a de crianças acima de 4 até 5 anos incompletos. Nesse público, procuraram as salas de vacina 18.619 crianças, entre as quais 14.828 precisaram receber alguma vacina.

Pandemia

A pandemia de Covid-19 fez com que muitos pais ficassem receosos em levar os filhos às salas de vacina. Justamente por isso a Subsecretaria de Vigilância à Saúde tranquiliza a população, pois as unidades oferecem segurança e foram devidamente preparados para receber crianças e adolescentes nas duas campanhas.

Após as campanhas, as vacinas continuarão disponíveis na rotina dos serviços de todas as unidades básicas de saúde do DF.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorHospital do Paranoá deve oferecer novos serviços
Próximo artigoFalso negativo: Juíza nega revogação da prisão de ex-Secretário Adjunto de Gestão em Saúde