Mapa da saúde: MPDFT promove workshop sobre ferramenta de análise de dados

Capacitação foi iniciada nesta terça-feira, 3 de novembro, no edifício-sede do MPDFT

58
Print Friendly, PDF & Email

A Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão (PDDC) iniciou nesta terça-feira, 3 de novembro, workshop sobre o sistema Qlik Sense para equipes do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e da Secretaria de Saúde (SES-DF). Considerada uma moderna ferramenta para a análise de dados, ele possibilita a organização, a visualização e o compartilhamento de grande quantidade de informações a partir de várias fontes. A iniciativa faz parte do projeto “Mapa Social da Saúde”, desenvolvido a partir de um termo de cooperação assinado pelas instituições.

O objetivo é estabelecer um fluxo de compartilhamento de dados e intercâmbio de informações para aprimoramento de soluções de mineração de dados na área de saúde. A capacitação da ferramenta será realizada em dois encontros pelo servidor Wellington Gonçalves dos Santos, da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do MPDFT.

Durante a abertura, estiveram presentes o procurador distrital dos direitos do cidadão, José Eduardo Sabo, gestor do projeto e também coordenador da força-tarefa criada para combate à pandemia, e um dos coordenadores do projeto, o promotor de Justiça Clayton Germano. “O projeto representa um grande passo para a melhoria da transparência da informação, imprescindível para a tomada de decisão dos gestores, e para o processo de acompanhamento da política pública de saúde no Distrito Federal pelos procuradores e promotores de justiça”, avaliou Sabo. O promotor Clayton destacou também sobre a importância do workshop para a concretização dos termos definidos pelo acordo de cooperação e da relevância na capacitação das áreas técnicas para o desenvolvimento dos painéis.

Publicidade

Mapa Social da Saúde

O projeto é executado pelo Núcleo de Políticas Públicas da PDDC em conjunto com a STI e coordenado pelos promotores de Justiça Clayton Germano (Prosus) e Bernardo Matos (Proreg), além da colaboração de outras promotorias de Justiça especializadas. O Comitê Gestor se reúne semanalmente para discutir as ações a serem executadas para o compartilhamento dos dados e elaboração dos painéis pelo Qlik Sense. Já foram produzidos protótipos sobre a área de regulação da saúde, bem como de informações sobre óbitos da Covid-19. O promotor de Justiça Bernardo Matos, secretário executivo da força-tarefa, acredita que os mapas sociais são o futuro da gestão pública por oferecerem informações sistematizadas aos tomadores de decisões. Outros setores devem, em breve, adotar a mesma prática.

FONTEMPDFT
Artigo anteriorSenado derruba veto à desoneração da folha de pagamento
Próximo artigoFachin rejeita pedido de Lula para ter acesso a acordos firmados pela Petrobras nos EUA