Secretaria de Saúde revitaliza Hospital Materno Infantil de Brasília

Foram investidos R$ 3 milhões para melhorar a infraestrutura e o atendimento

160


Print Friendly, PDF & Email

Por Leandro Cipriano

O Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) está de cara nova. Resultado do investimento de R$ 3 milhões que a Secretaria de Saúde (SES) fez para revitalizar o prédio e manter o hospital como referência no atendimento pediátrico e ginecológico. Hoje (10), o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, conferiu de perto o resultado dos investimentos no Hmib.

O prédio ganhou pintura e iluminação novas. A entrada principal e a recepção da Emergência Pediátrica foram revitalizadas. Mudaram também as janelas e as redes elétrica e hidráulica do espaço onde funcionava o complexo regulador, a gestão de leitos e o Núcleo de Internação e Alta (NIA).

Publicidade

No Centro Obstétrico e na Neonatologia foram instalados refrigeradores de ar. Durante sete anos, esses espaços funcionaram sem ar-condicionado. Os pacientes e seus parentes agradeceram. “Faz muita diferença, melhora a qualidade do serviço, ainda mais nesse calor”, elogiou Maria de Jesus Nascimento, 31 anos, mãe de uma menina nascida há poucos dias no Hmib.

Com a reforma, o Centro Obstétrico ganhou uma Sala de Classificação de Risco. O espaço é refrigerado e conta com câmeras de vigilância. É ali, num ambiente confortável e seguro, que agora pacientes grávidas vão aguardar pelas consultas.

A diretora do Hmib, Marina da Silveira, mostrou também ao secretário as novas estações de trabalho dos servidores. Antes, esses espaços eram insalubres e subutilizados. Agora, contam com baias refrigeradas e adaptadas para receber aparelhos eletrônicos, como computadores e impressoras. O espaço pode acomodar também médicos de diversas áreas, contribuindo para melhorar a relação entre profissionais da saúde.

Osnei Okumoto, que é farmacêutico de formação, fez questão de visitar os Núcleos de Farmácia do Hmib. Antes, esses locais não dispunham de espaço suficiente para armazenar o estoque de medicamentos e materiais. O problema foi solucionado com a construção de um mezanino e com a readequação das salas para aproveitar melhor o espaço. “Os servidores mais antigos dizem que melhorias como essa nunca tinham sido feitas nas farmácias do Hmib”, conta a diretora do hospital.

O secretário de Saúde gostou do que viu. “Percebemos que há o comprometimento dos profissionais em melhorar o atendimento e o acolhimento dos pacientes, transformando o Hmib numa casa de prestação de serviços muito eficiente para a população”, elogiou Okumoto.

Por causa da pandemia, o andamento de algumas obras atrasou, prejudicando o cronograma do projeto. Mesmo assim, o hospital manteve o ritmo de atendimento e, agora, de cara nova, pode melhorar ainda mais os serviços que presta à população, segundo a direção do Hmib.

Rede revitalizada

Além do Hmib, outras unidades da rede pública de saúde do DF já foram modernizadas neste ano. São elas: os hospitais regionais de Samambaia (HRSam), Taguatinga (HRT), Gama (HRG), Sobradinho (HRS), da Região Leste (HRL, antigo hospital do Paranoá), Brazlândia (HRBz), Guará (HRGu), Apoio de Brasília (HAB) e São Vicente de Paulo (HSVP).

Foram ainda revitalizadas a Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), a Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências de Saúde (Fepecs), o Complexo Regulador do Distrito Federal (CRDF) e o Parque de Apoio da Secretaria de Saúde, além de galpões da Secretaria de Saúde.

A reforma das unidades da rede já estava prevista pelo Governo do Distrito Federal, mas foram antecipadas e aceleradas diante da pandemia. Em março deste ano, foram assinados 19 contratos de manutenção preventiva e corretiva de unidades da rede pública.