Covid-19: desinformação só piora a pandemia

A falta de transparência da Secretaria de Saúde não muda os fatos.

174
Print Friendly, PDF & Email

Por Gutemberg Fialho

O cálculo mudou, mas a soma da quantidade de óbitos, de pessoas vítimas da Covid-19 no Distrito Federal, continua a mesma: são mais de 2,2 mil cidadãos mortos em decorrência da doença e, também, de uma gestão, no mínimo, confusa. E é um número assustador, que deve, sim, desassossegar, em especial, aqueles que nos governam.

Desde o início de pandemia no DF, uma série de medidas precipitadas foi tomada pela gestão local. Fecharam o comércio fora de hora, reabriram o comércio fora de hora, criaram, tardiamente, um hospital de campanha sob suspeita da Justiça e sem suporte de oxigênio para todos os leitos; insumo que é fundamental à assistência do paciente para tratar uma doença eminentemente respiratória.

No auge da pandemia, é importante lembrar também, até as crianças ficaram sob ameaça, com a perspectiva de retorno das aulas presenciais: na indecisão de fecha escola ou abre escola.  E não apenas elas: professores, pais, avós e outros familiares estão na mira da doença com a constatação científica de que crianças e jovens com Covid-19 têm carga viral superior a de adultos hospitalizados.

O erro não está na forma de divulgação do número de mortes. O erro está nas escolhas de um desgoverno que não sabe assumir a responsabilidade pelos seus atos. Que quer negar à população do DF a veracidade dos fatos: não é o momento de relaxar.  Não é a hora de ficarmos tranqüilos e relaxarmos as medidas de proteção. Com esse comportamento, o governo, no mínimo induz os cidadãos ao erro de acreditar que está tudo bem. Não está.
O acesso à informação, de forma transparente, é uma garantia constitucional, sancionada em 2011, que consolida, também, a democracia brasileira. Não podemos nos esquecer disso.

Sem um processo transparente na divulgação de dados, a saúde da população e até os profissionais de Saúde ficam à revelia dos desmandos da gestão. Um desgoverno que, com essa atitude, nega até à ciência o direito de pesquisar e propor soluções para um problema que existe sim e é muito grave.

Não se enganem. O momento é de cuidado redobrado. Agora é a hora de fortalecer as ações de combate à doença. Não há motivo para sossegar ou ficarmos tranquilos. Protejam-se e protejam quem está por perto. O uso de máscara e o distanciamento continuam sendo armas importantes contra a Covid-19. O novo coronavírus é uma ameaça real. Assim como a lamentável e preocupante falta de transparência do Governo do Distrito Federal.