Jorge Vianna realiza reunião com representantes de escolas particulares para tratar de volta as aulas

91
Print Friendly, PDF & Email

Por Kleber Karpov

Na manhã desta quarta-feira (12/Ago), o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), mediou reunião, enquanto presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da Câmara Legislativa do DF (CLDF), entre representantes do Ministério Público do Trabalho (MPT), de sindicatos e entidades representativas ligadas as escolas privadas do DF. O evento foi transmitido, ao vivo, pela TV Web CLDF, e em alguns momentos, chegou a contar com cerca de 300 telespectadores.

O evento contou ainda com a participação dos deputados distritais, Jaqueline Silva (), Julia Lucy (Novo), Reginaldo Veras (PDT), o procurador do MPT, Angelo Fabiano, assessor da Secretaria de Estado de Educação do DF (SEDF), Leandro Cruz, os presidentes dos sindicatos dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (SINEPE/DF), Álvaro Domingos, dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (SINPROEP-DF), Karina Barbosa e, da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do DF (ASPA-DF), Alexandre Veloso.

No período da tarde, durante a sessão da CLDF, Vianna classificou, a reunião, que durou aproximadamente três horas e meia foi extremamente proveitosa. Segundo o deputado, o evento permitiu às entidades, até então com posições divergentes, chegassem a alguns consensos. Posições essas que podem facilitar a retomada de um acordo. Isso, a ser intermediado pelo MPT, perante a Justiça, uma vez que tal definição aguarda decisão do Tribunal Regional do Trabalho 10a Região (TRT).

“Acho que estamos conseguindo chegar a um denominador comum. O que eu senti na verdade foi uma sensação de hostilidade entre sindicato e o Ministério Público, mas não podemos levar para o lado pessoal, e nem personalizar ou personificar os problemas em instituições ou pessoas. Eu vi que o Ministério Público foi bastante criticado pela conduta, vi sindicatos criticavam os sindicatos, enfim, então acho que a gente conseguiu apaziguar, e equacionar essa conta e amanhã o Ministério Público terá uma reunião com o secretário de Educação e provavelmente com a secretaria de saúde. Deu para entender que o MP não se opõe em datas para a volta as aulas. No entanto, ele obviamente, por se tratar de uma instituição que defende o indivíduo, independente da questão econômica do Estado, está preocupado com esse retorno e a segurança dos alunos, dos professores e da sociedade em geral. Então, tendo essa segurança, vindo d SES e com todas s estratégias da Secretaria de Educação, não teremos problemas em voltar as aulas com pedido dos dois sindicatos.”, explicou.

Confira a reunião, na íntegra: