Ibaneis assina ordem de serviço para construção do hospital de campanha em Ceilândia

290
Print Friendly, PDF & Email

Depois da pandemia, unidade se tornará Hospital Materno Infantil da região

Por Leandro Cipriano

Ceilândia terá uma nova unidade de atendimento hospitalar. A ordem de serviço para iniciar as obras foi assinada, nesta segunda-feira (13), pelo governador Ibaneis Rocha e pelo secretário de Saúde, Francisco Araújo. A futura estrutura começou a ser erguida na QNN 27 e vai comportar 60 leitos, sendo 20 de suporte respiratório e 40 de enfermaria.

Durante a solenidade da assinatura, que ocorreu na inauguração do hospital modular anexo ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), o governador explicou que a futura unidade será usada como um hospital de campanha para receber pacientes acometidos pela Covid-19. Depois que passar a pandemia, o local se tornará o futuro Hospital Materno Infantil de Ceilândia.

“Em um momento de crise, precisamos cuidar das pessoas acometidas pela doença. Vamos construir o segundo hospital de Ceilândia. O terreno já está destinado e a licitação feita. A ordem de serviço serve para dar início. Posteriormente a essa pandemia, poderemos atender as mães dessa cidade, que terão um Materno Infantil, uma carência de anos”, declarou Ibaneis Rocha.

Serviços começaram nesta segunda-feira no terreno que fica ao lado da UPA – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Licitada pela Secretaria de Saúde, as obras foram orçadas em R$ 10,4 milhões. Uma área de aproximadamente 22.900 metros quadrados foi reservada próxima a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia para construir a unidade hospitalar. Devido a urgência do coronavírus, todas obras para o enfrentamento à Covid-19 têm prazo de execução mais rápido. Por isso, a previsão de entrega da nova estrutura é de 30 a 60 dias.

“Apesar de todas as dificuldades que foram colocadas, hoje assinamos [a ordem de serviço] e as obras já vão iniciar. Isso vem em um excelente momento. Assim, conseguimos fortalecer de maneira real, clara e transparente as ações da Secretaria de Saúde”, garantiu Francisco Araújo.

Durante o evento, o secretário de Saúde também anunciou que o Hospital da Polícia Militar, com capacidade para 86 leitos, será inaugurado nesta semana. Essa será mais uma unidade para atender a população infectada pela Covid-19 no DF.

Mais obras

O governador também lembrou que outras obras foram concluídas, como a do hospital de campanha no Complexo Penitenciário da Papuda. O local oferecerá dez leitos de suporte avançado e 30 de enfermaria para a população carcerária com Covid-19.

“Será o primeiro centro de tratamento dentro de uma penitenciária no Distrito Federal. Tudo isso está sendo feito para cuidar da população”, afirmou Ibaneis Rocha.

Também está em andamento a construção da nova UPA de Ceilândia, na Expansão do Setor O, QNO 21. Ela será uma das sete novas unidades no DF, administradas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF). As outras estão sendo construídas em Brazlândia, Paranoá, Gama, Ceilândia, Riacho Fundo II, Planaltina e Vicente Pires.

É importante destacar que Ceilândia já possui uma UPA, localizada na QNN 27, Área Especial D. Esta foi reformada no ano passado e está em pleno funcionamento. A unidade recebeu, em junho, 20 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19.

Fonte: Agência Saúde DF