Acordo entre Saúde e rede privada garante 35 leitos de UTI durante a pandemia no DF

57
Print Friendly, PDF & Email

Objetivo é unir esforços para reforçar os atendimentos à população

Por Johnny Braga

Na ata da reunião, foi registrado a seguinte quantidade de leitos oferecidos por cada hospital privado: São Mateus (10), Grupo Santa (10), Daher (5), Santa Marta, por meio do Hospital Anna Nery (4), São Francisco (2), Rede Impar (2) e Rede D’Or (2). Em contrapartida, a Secretaria de Saúde se comprometeu a iniciar um processo de contratação de serviço de auditoria de contas médicas, para dar maior celeridade ao processo.

Com o acordo, a pasta pretende se mobilizar para transferir pacientes internados em hospitais públicos para os leitos que serão ofertados na rede privada. Dessa forma, terá 35 vagas de UTI na rede pública, que poderão ser utilizados para atender acometidos pela Covid-19 em um período que o DF enfrenta o pico da pandemia.

“Com muita dedicação e empenho, tanto o sistema público quanto o privado estão se unindo para ajudar o Distrito Federal no enfrentamento ao coronavírus. Esse é o momento de juntar esforços e cooperamos para combater a pandemia e garantir um atendimento digno à população”, afirmou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

DECRETO – O governador Ibaneis Rocha decidiu revogar, nesta quinta-feira, o decreto que requisitava 65 leitos de UTI de hospitais privados para a rede pública de Saúde. A mudança foi anunciada no mesmo dia, na edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), depois da reunião realizada com os representantes dos hospitais da rede privada, que resultou no acordo.

Fonte: Agência Saúde DF