Após quase dois meses internada com Covid-19, técnica em enfermagem recebe alta de hospital

376
Print Friendly, PDF & Email

Após uma longa batalha pela vida, a técnica em enfermagem Sâmia Regina, de 57 anos, agora tem o que comemorar. Internada desde maio, a profissional da Secretaria de Saúde recebeu alta nesta quinta-feira (02), depois de lutar contra a Covid-19.

Sâmia atuava na linha de frente no combate ao novo coronavírus, quando foi contaminada em maio na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Samambaia. Na época, 57 servidores da unidade de saúde tinham sido contaminados pela doença.

Ao dar entrada no Hospital Regional da Asa Norte com falta de ar, o estado de saúde piorou. Ela teve febre,  e um quadro de pneumonia, quando foi para a UTI e precisou ser entubada, onde após realização de exame constatou que cerca de 60% dos pulmões haviam sido comprometidos. Após ser transferida para o Hospital Daher, Sâmia ficou durante 33 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) respirando por meio de traqueostomia. Ela já não falava e se alimentava por meio de aparelho.

A família da técnica decidiu transferir para Hospital DFStar, onde permaneceu até esta quinta-feira (02). Durante o tratamento na unidade hospitalar, a profissional precisou realizar transfusão de sangue e passar por reabilitação motora e de fala para recuperação.

Foto: Reprodução/Sindate-DF

Alta

Uma doença que ataca o corpo e abala a mente de muitos, o novo Coronavírus já fez milhões de vítimas em todo o mundo e trouxe inúmeras mudanças nas rotinas das pessoas. Um combate silencioso tem sido travado todos os dias, exigindo persistência e resistência de pacientes e profissionais da saúde. O esforço constante para salvar a vida de pessoas infectadas pelo vírus expõe ao alto risco quem está na linha de frente desta batalha.

A emoção daqueles que venceram a doença é inevitável, como aconteceu hoje, com a técnica de enfermagem Sâmia. Ela foi recebida por familiares e representantes do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF), com aplausos, mensagens de motivação e uma faixa com homenagem à servidora.

Sindicato comemora recuperação e alerta para contaminação de profissionais

O diretor do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) Newton Batista celebrou a cura da técnica de enfermagem e destaca que a entidade tem a profissional como uma guerreira, que lutou pela vida em todos os momentos.

Batista enfatiza que o caso da servidora serve como exemplo do que vem ocorrendo com os trabalhadores da saúde. “É uma prova de que nós profissionais estamos sim expostos na linha de frente, correndo o risco de morrer. A Sâmia é uma exceção, diferente do colega Hiran do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) que faleceu nesta quarta-feira, ela conseguiu sobreviver.

O diretor sindical e presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT-DF) alerta sobre o risco de contaminação de profissionais em massa, devido a falta de condições de trabalho e proteção individual. “Preocupa porque esse é o reflexo que os nossos trabalhadores poderão sofrer hoje e amanhã dentro das unidades hospitalares. A falta de fluxo dentro das unidades e a falta de EPIs, assim como definição de treinamentos para que nossos profissionais estejam protegidos são pontos que estão influenciando no acometimento do alto índice de contaminação dos nossos profissionais”, pontua.

Número de profissionais contaminados

Até o início da noite de quarta-feira (1º) os dados do boletim divulgado pela Secretaria de Saúde (SES-DF) computava um número de 2.253 trabalhadores da saúde contaminados pelo novo coronavírus.

Fonte: Sindate-DF