Morre técnico em enfermagem do HRAN, vítima do Covid19

3640
Print Friendly, PDF & Email

Hiran Rodrigues foi a primeira vítima do coronavírus, lotada no HRAN, hospital referência no tratamento ao Covid-19

Por Kleber Karpov

Na madrugada desta quarta-feira (1º/Jul), morreu o Técnico em Enfermagem, Hiran Rodrigues Lima, 47 anos, lotado no Pronto Socorro (PS) do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN). Lima, se tornou a primeira vítima, entre os servidores da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), do HRAN, hospital referência para tratamento de pacientes vítimas da pandemia do coronavírus (Covid-19).

Despedida

No período da manhã, Lima, foi homenageado por colegas que emocionados se despediram do profissional de saúde que atuava na linha de frente no combate ao Covid-19.

 

“A gente sempre viveu em um ambiente muito estressante, muito tenso, mas o Hiran sempre foi uma pessoa muito calma, tranquila. Sempre com atenção no paciente, pessoa boa do coração. Ele quando estava no box, fez um pedido para mim. Ele falou, Hélio se eu for entubado, quero ficar aqui no HRAN, quero ficar perto dos meus amigos. E a gente cuidou dele, até o último momento, toda equipe do PS, do 6o andar, da Uti, todos cuidaram dele.”, disse Hélio, colega do técnico em Enfermagem.

Repercussão

O deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), egresso da Enfermagem, publicou Nota de Pesar, em que ressaltou a necessidade de se garantir, aos profissionais de saúde, Equipamento de Proteção Individual (EPIs), “conforme estabelece a Organização Mundial de Saúde e as normas de seguranças estipuladas pelo Ministério da Saúde.”.

Cobrança essa, também apontada pelo diretor do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Newton Batista. “Nós acompanhamos de perto a situação dos auxiliares e técnicos em enfermagem e dos demais servidores que atuam, não só nos hospitais referência para lidar com o coronavírus, mas também nas UPAs e demais unidades de saúde. E o que temos acompanhado são profissionais de saúde atuando com medo, primeiro pelo risco de serem contaminados e contaminarem os familiares e, segundo, por problemas com relação ao fornecimento de EPIs, a falta de treinamento e de estrutura para lidar com essa pandemia.”, afirmou.

Números

Dados do Observatório da Enfermagem, do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN)(1º/Jul)(Veja Aqui), o DF contabiliza um total de 482 profissionais com registro positivo para o coronavírus e um total de três óbitos. Em todo país, a categoria tem um total de 22.372 confirmações reportados pelos profissionais de saúde, com um total de 226 mortes, o que resulta em uma taxa de letalidade de 2,21%.

Atualização: 1º/07/2020 às 13h51