Sindate se reúne com gestores do IGESDF para discutir demandas de técnicos do Hospital de Base

258
Print Friendly, PDF & Email

O Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) esteve reunido, na manhã desta segunda-feira (22), com gestores do Instituto de Gestão Estratégica em Saúde do Distrito Federal (IGESDF) para discutir algumas das principais reivindicações dos auxiliares e técnicos em enfermagem do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), gerido pelo Instituto.

Durante o encontro, a diretora do Sindate Elza Aparecida apontou alguns dos problemas analisados na visita ao Hospital de Base, realizada na última terça-feira (16), quanto ao fluxo de pacientes com Covid nos andares. Outro ponto mencionado por Aparecida foi quanto a qualidade dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) que estavam sendo fornecidos aos profissionais atuantes na linha de frente.

Em resposta, o infectologista da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH, Dr. Werciley Júnior, juntamente com a gerente de enfermagem do Base, Taís Ribeiro, informou que dentro da estrutura que o hospital dispõe hoje, serão definidas áreas específicas em andares selecionados – de cardiologia, de cirurgia vascular, de cirurgia geral e torácica e outros –  com quatro a seis enfermarias. Haverá uma equipe atuante, que já está recebendo treinamento, dentro destes locais, e será dedicada especificamente para a área de isolamento.

Segundo o infectologista, as formas de contaminação do Coronavírus, são por gotículas ou aerossóis, e o uso de máscara previne a contaminação, não necessitando, obrigatoriamente, ter uma unidade exclusiva, mas áreas exclusivas para estes atendimentos.

Testagem

Os gestores informaram ainda que estão sendo realizadas as testagem e detalharam o fluxo de alguns hospitais como os Hospitais de Base e de Santa Maria.

Hoje, o enfermeiro que recebe o plantão, verifica na equipe, quem apresenta sintomas, a partir disso medidas são tomadas para atendimento do colaborador. Aqueles que não se encontram no plantão, notificam a chefia imediata, que fará a solicitação por email aos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho – SESMT, para a coleta do swab. Encerrado o prazo de afastamento,  o funcionário que estiver há 72 horas sem sintomas, deverá procurar o SESMT para uma avaliação de retorno, afirmou Taís.

Copa 

Uma das reivindicações dos profissionais foi quanto a possível retirada da copa do Pronto Socorro. Em resposta, o presidente do IGES disse, que a copa permanece aberta, e caso haja necessidade de uma mudança, sugeriu a abertura do refeitório central, mantendo o seu funcionamento por 24 horas. Eles relataram que alguns profissionais estão utilizando a copa para confraternizações, gerando aglomerações e criticou esta atitude.

Alimentação 

O Sindicato recebeu recorrentes reclamações quanto qualidade da alimentação fornecida aos profissionais da saúde. Os gestores informaram que irão acompanhar esta solicitação e tomar as medidas necessárias.

O Sindate continuará a visitar as unidades hospitalares para fiscalizar a execução do fluxo da testagem, bem como as mudanças referente a copa usada pelos funcionários com objetivo de assegurar os direitos dos profissionais da saúde

Fonte: Sindate-DF