Embora questione números do Covid-19 no país, Wizard defende isolamento social e discorda de “gripezinha” de Bolsonaro

128
Print Friendly, PDF & Email

Em reportagem de Revista Isto é Dinheiro, futuro secretario do Ministério da Saúde, realiza campanha de arrecadação de dinheiro e tenta atrair “outros bilionários” para ajudar no combate ao Covid-19

Por Kleber Karpov

Alvo de críticas dos secretários de saúde do país, o empresário Carlos Martins Wizard, cotado para assumir a Secretária de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE), terceira pasta mais importante do Ministério da Saúde (MS), surpreende por realizar campanha para ajudar no combate a pandemia do coronavírus (Covid-19). Ao divulgar campanha de arrecadação de dinheiro, Wizard reforça necessidade de isolamento social e contesta a “gripezinha”, aludida pelo presidente, Jair Bolsonaro (Sem Partido).

Ao agradecer, em especial ao filho, autista, por estar em Brasília para assumir a SCTIE, Wizard, sugere a visita ao site www.EuFacoParteDaSolucao.com (Veja Aqui). No site, o empresário anuncia, o lançamento nacional do movimento ‘Eu Faço Parte da Solução’, com objetivo, de “oferecer atendimento e tratamento aos pacientes contaminados com o vírus do coronavírus.”. Isso, por meio de doações, em aquisição do livro digital intitulado “Meu Maior Empreendimento”.

A obra, narra a experiência da atuação no estado de Roraima, durante a Operação Acolhida, de apoio a venezuelanos que chegam ao Brasil em uma ação social, local em que trabalhou junto com general, interino do Ministério da Saúde (MS), Eduardo Pazuello, responsável pela indicação para assumir o SCTIE. O empresário se compromete fazer uma doações, de igual valor, para tratar as vítimas do Covid-19, a cada aquisição da edição digital do livro, no valor de R$ 9, embora o site disponibilize cotas de até R$ 900 para doações.

Campanha

Fonte: www.EuFacoParteDaSolucao.com

No mesmo site, publicação intitulada ‘O segundo empreendimento humanitário de Carlos Wizard’, postada neste sábado (6/Jun)(Veja Aqui), Wizard ao comentar a campanha em que usa “sua rede de contatos para atrair doações de outros bilionários”, o empresário replica Nota publicada na edição 1165 da Revista Dinheiro (3/Abr)(Veja Aqui), em que aborda a gravidade da pandemia e observa não se tratar de uma ‘gripezinha’, termo utilizado por Bolsonaro, para minimizar o Covid-19.

 “É lamentável ver que essa doença tão grave, que obviamente não é uma gripezinha, tenha virado tema de palanque político no Brasil”, além de ratificar a necessidade de se manter o isolamento social para lidar com a pandemia.

Fonte: Revista Isto é Dinheiro

Superdimensionamento

Defensor do combate ao Covid-19, do isolamento social e, ciente dos riscos da pandemia, por não se tratar apenas de uma ‘gripezinha’, Wizard, que atua em ações sociais, após a repercussão em relação a sugestão, de haver contagem superestimada de casos de Covid-19, rebateu as críticas. “Não pretendemos desenterrar mortos, não tratamos disso. O que pretendemos é rever os critérios dessas mortes”.

Mandetta ou Regina Duarte?

Resta saber, dado o histórico de parte dos gestores públicos do governo de bolsonaro, se o futuro secretario da SCTIE do MS, deve se manter fiel as próprias convicções, ou se tal manifestação, pode representar, um desvio de posicionamento.