Coronavírus: DF registra seis mortes neste sábado e número de casos bate novo recorde

Com 1.642 novos casos de contaminados em um só dia, neste sábado, o DF chegou a 15.850 infectados por Covid. No total, o DF soma 192 mortos pela doença

382
Print Friendly, PDF & Email

Por Ana Paula Oliveira

Com a abertura gradativa do comércio no Distrito Federal, muitos moradores acreditam que a situação do coronavírus está se normalizando, mas especialistas alertam: Não é o momento para relaxar. Para reforçar a necessidade do isolamento social, o governador do DF, Ibaneis Rocha publicou, neste sábado (06/06), um decreto específico para as regiões administrativas de Ceilândia, Sol Nascente/Pôr do Sol e Estrutural, as áreas com maior número de infectados.

O governo determina a proibição da abertura restaurantes, bares, lojas de conveniência, salões de beleza, cinema e teatro, academias de esporte, museus, parques (ecológicos, recreativos, urbanos, vivenciais), boates e casas noturnas, atendimento ao público em shoppings, feiras e clubes, cultos e missas, além de eventos sociais, particulares ou não. A medida vale a partir da próxima segunda-feira (8/6) e tem duração de 72 horas. O objetivo é frear o número crescente de novos casos de Covid-19 nas regiões.

Publicidade

Número de mortes

Neste sábado, o Painel COVID 19 do Governo do Distrito Federal computou seis mortes provocadas pelo coronavírus. As vítimas fatais tinham entre 50 e 79 anos e apenas um dos mortos não sofria comorbidades, que agravam com a contaminação da Covid. Os óbitos foi registrados são de moradores de Águas Claras, Ceilândia, Gama, Planaltina, Recanto das Emas e Sobradinho. No total, são 192 mortes de moradores do DF e 16 de pessoas de outras regiões, que estavam em tratamento no DF.

Com 1.642 novos casos de contaminados em um só dia, neste sábado, o DF chegou a 15.850 infectados por Covid.  O número de pacientes recuperados, desde o início da pandemia é de 7665 pessoas.

Artigo anteriorEmbora questione números do Covid-19 no país, Wizard defende isolamento social e discorda de “gripezinha” de Bolsonaro
Próximo artigoServiços não essenciais suspensos em Ceilândia, Sol Nascente e Estrutural