BRB amplia a taxistas e motoristas de aplicativos, linha de crédito para minimizar impacto financeiro do coronavírus

571
Print Friendly, PDF & Email

O BRB amplia, a partir de hoje (15) aos taxistas e motoristas de aplicativo o acesso à linha de crédito criada para ajudar diferentes setores a minimizar o impacto econômico provocado pela pandemia do Covid-19. A linha de crédito faz parte do Supera-DF, programa amplo lançado pelo Banco e que prevê a liberação de até R$ 1 bilhão, entre outras ações para pessoas jurídicas e físicas.

O acesso ao Supera-DF para motoristas de táxi e aplicativos se dará por meio de termo de cooperação assinado entre o BRB e a Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob).

As linhas de crédito oferecidas são Capital de Giro/Progiro, BRB Investimento, Microcrédito Produtivo Orientado (MPO)/Acreditar e Crédito Pessoal.

O Acreditar é um produto de microcrédito orientado que atende com financiamento de R$ 350 a R$ 15 mil, aval ou grupo solidário e é destinado para pessoas físicas ou jurídicas com faturamento anual de até R$ 200 mil. As taxas de juros são a partir de 1,85% a.m.

Já o Progiro oferece taxas de juros a partir de 0,80% a.m., com prazo de 36 meses para pagamento e seis meses de carência.

O BRB Investimento tem prazo de 48 meses para pagamento e até 12 de carência. As taxas de juros são a partir de 0,92% a.m. A taxa de juros do crédito pessoal é a partir de 1,85% a.m. e prazo de 33 meses com três de carência.

“Desde o início da pandemia do Covid-19, o BRB trabalha para atender toda a cadeia produtiva impactada pela crise. O acesso de motoristas de táxi e de aplicativo ao Supera-DF é mais um passo que o BRB, como Banco do DF, dá no sentido de apoiar toda a sociedade”, afirma o presidente do Banco, Paulo Henrique Costa.

Para ter acesso às linhas do Supera-DF, o contato deve ser feito, preferencialmente, pelos meios digitais. O BRB disponibiliza a central telefônica 61 3322-1515, além do Mobile e Banknet. As agências também estão abertas, respeitando as orientações dos órgãos oficiais de saúde, como o distanciamento de 2 metros e uso de máscaras.

Fonte: BRB