Saúde investirá R$ 35 milhões para contratar leitos de UTI da rede privada do DF

119
Print Friendly, PDF & Email

Recursos podem aumentar conforme a demanda dos pacientes com Covid-19

Por Leandro Cipriano

Como mais uma medida de enfrentamento do coronavírus, a Secretaria de Saúde pretende investir cerca de R$ 35 milhões para contratar leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de hospitais, clínicas e demais instituições da rede privada. O objetivo é reforçar os atendimentos oferecidos nas UTIs Adulto, Pediátrica e Neonatal, no âmbito da saúde pública.

A convocação para os interessados apresentarem suas propostas foi divulgada na edição, desta quarta-feira (1°), do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). A contratação dos leitos com o setor privado será anual, via credenciamento, com a possibilidade de ser prorrogada. O edital possibilita ainda que qualquer instituição privada capacitada possa participar da convocação.

“O objetivo é termos mais leitos de UTI disponíveis, para atender à população em caso de maior necessidade. O credenciamento está aberto e qualquer instituição privada competente que deseje se credenciar poderá participar”, afirmou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

De acordo com o secretário-adjunto de Gestão em Saúde, Eduardo Pojo, a execução se dará conforme a demanda. “Inicialmente, serão 40 leitos, mas isso pode aumentar com o tempo, com mais recursos sendo investidos. Estamos nos preparando para o enfrentamento da Covid-19 e nossos esforços serão para a absorção máxima da capacidade da rede”, informou Pojo.

O edital de credenciamento está disponível na Gerência de Aquisições Especiais da Secretaria de Saúde. Também pode ser solicitado pelo e-mail inexigibilidade.sesdf@gmail.com.

Números

A rede pública de saúde do DF conta, atualmente, com 500 leitos de UTI. No cenário de pandemia do coronavírus, estão disponíveis 50 leitos para pacientes com Covid-19, sendo 10 pediátricos no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB).

Nos próximos dias, serão disponibilizados mais 10 leitos em hospitais privados, já com suporte respiratório. No Hospital da Polícia Militar também vão ser oferecidos 80 leitos, outros 70 no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e mais 30 no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF).

No Hospital Regional da Asa Norte (Hran), outros 10 leitos foram habilitados pelo Ministério da Saúde e serão utilizados para atender pacientes com a Covid 19. Ainda como suporte aos afetados pelo coronavírus, está em andamento a compra de 300 ventiladores pulmonares para os principais hospitais públicos do DF.

Além disso, 200 leitos de retaguarda serão disponibilizados pela Secretaria de Saúde no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Eles serão voltados aos pacientes que receberam alta das UTIs mas ainda estão em recuperação e não podem voltar para casa. A previsão inicial é que parte desses leitos esteja disponível à população nos próximos 15 dias.

Fonte: Agência Saúde DF