Jorge Vianna fiscaliza supermercados do DF para verificar se há existência de abusos de preços

75
Print Friendly, PDF & Email

Unidades permanecem abastecidas e embora tenha percebido reajustes de preços nas redes de supermercados do DF, os aumentos não foram abusivos, avalia Vianna

Por Kleber Karpov

No decorrer da semana, o deputado Jorge Vianna (Podemos), e parte da equipe do gabinete, acompanharam os preços praticados por supermercados do Distrito Federal. Membro da Comissão de Direitos do Consumidor da Câmara Legislativa do DF (CLDF), a intenção de Vianna foi verificar se havia prática de abuso de preços aos consumidores. Ao todo, cerca de 20 supermercados tiveram os preços verificados, em 10 Regiões Administrativas (RAs) do DF.

Desses, cinco em Samambaia, dois em Águas Claras, três no Recanto das Emas e dois em Taguatinga. Além de supermercados em Sobradinho, Cruzeiro, Lago Sul, Jardim Mangueiral, Ceilândia e Riacho Fundo II.

Como base nas amostras dos dados, das RAs que receberam a fiscalização realizada por Vianna, é possível observar que os mercados do Recanto das Emas, estão como os preços elevados, acima da média do DF, com um custo médio da cesta básica de R$ 96,08. Samambaia, por sua vez, praticam valores abaixo da média, R$ 83,79.

Dentre os artigos verificados, estão itens que compõem a cesta básica: arroz 5kg, feijão 1kg, Óleo, açúcar 5kg, flocão 500gr, macarrão 500gr, leite, papel higiênico com 12 unidades, margarina 500gr, ovos com 30 unidades e café 500gr.

Em alerta

Após a compilação dos dados colhidos pelo deputado e equipe, na análise de Vianna, todos os supermercados populares do DF praticaram reajustes dos produtos. Porém, não chegam a praticar preços abusivos, a exemplo do que ocorreu, entre as farmácias, com a cobrança de artigos como álcool gel e máscaras.

“Estamos em alerta, em relação a fiscalização dos supermercados, por dois motivos, primeiro para ter certeza que não haja risco de desabastecimento. Segundo para que não haja excessos na prática de reajustes. Tivemos aumento considerável, em itens como o arroz, o feijão, o ovo e o flocão, esse último que saltou de uma média de R$ 1,00 para até R$ 2,60 de marcas conhecidas. Então, vamos ficar atentos em relação aos preços praticados pelos mercados para esses produtos, para que não haja abuso para os consumidores.”, disse Vianna.

Confira a fiscalização

Fonte: Jorge Vianna