Sistema de vídeo-chamada e chat vai ajudar o GDF a conter avanço do coronavírus

Tecnologia foi cedida por empresa para uso durante três meses no CIOB

52


Print Friendly, PDF & Email

Agência Brasília

Como mais uma das medidas do Governo do Distrito Federal de enfrentamento ao COVID-19, foi assinado acordo de cooperação técnica com a Bembras Integração e Engenharia para implementação de atendimento por vídeo-chamada/chat de cidadãos com suspeita de contaminação pelo coronavírus.

O procedimento evita a disseminação descontrolada da doença e a sobrecarga da rede hospitalar, já que não haverá necessidade de a pessoa sair de casa. A partir daí, o caso suspeito será devidamente encaminhado pelo médico para os procedimentos de diagnóstico.

A modelagem desse acordo foi feita pela Secretaria de Projetos Especiais (Sepe), e a cooperação técnica foi assinada pela Casa Civil (Caci), Sepe e as secretarias de Saúde (SES) e de Segurança Pública (SSP). A duração será de três meses, a partir do funcionamento do sistema.

O secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros, pontua que essa medida, em conjunto com outras já adotadas pelo governador Ibaneis Rocha, contribui para o enfrentamento ao coronavírus. “Nesse momento, informações precisas e rápidas são essenciais no combate a essa pandemia”, explicou.

Publicidade

Não haverá custos para o GDF, pois a empresa que detém a tecnologia com exclusividade no Brasil disponibilizará a utilização do software por uma questão humanitária. “Com certeza tanto o GDF como a Bembras sairão ganhando. Nós, porque vamos trabalhar com uma plataforma que nos ajudará a conter a disseminação do coronavírus. E a empresa vai mostrar a eficiência desse sistema”, afirmou Everardo Gueiros.

O programa será operacionalizado no Centro Integrado de Operações de Brasília (CIOB), da secretaria de Segurança Pública. A Bembras treinará os servidores, que serão da própria segurança e também da secretaria de Saúde, para o atendimento e uso do sistema. As informações recebidas nessas ligações irão para a base de dados do Governo sobre o COVID-19. É no CIOB onde está montada uma força-tarefa exclusiva para agir no combate ao avanço do vírus.

Como funciona a plataforma

O cidadão que ligar para um dos números disponibilizados pelo Governo 190, 193 ou 199, e que estiver com sintomas de coronavírus, receberá um link por SMS, se assim desejar, para poder continuar a conversa por vídeo chamada. Durante a chamada, se a pessoa estiver impossibilitada de falar, poderá escrever no chat disponível na mesma ligação.

O recurso interno de mensagens de texto do programa cria uma sobreposição simples que garante que os chamadores possam enviar mensagens e, ao mesmo tempo, conversar por vídeo com clareza.

Com essa plataforma de atendimento, o médico terá percepção situacional mais rápida e aprimorada, além de uma visão do cidadão/chamador, podendo assim passar-lhe suas recomendações.

Também com a aprovação de quem fez a chamada, o sistema permitirá conhecer a localização precisa de onde foi feita a ligação.

“O mais importante é que, no momento em que o usuário autoriza a localização, o GDF consegue mapear os casos suspeitos, com isso pode-se fazer o roteiro do vírus. Permitindo saber quando, como e onde está havendo contágio, de forma rápida e eficaz”, detalha Everardo Gueiros.

*Com informações da Secretaria de Projetos Especiais

Fonte: Agência Brasília