Tragicômico: Hospital Regional do Gama vira palco de tiroteio, confusão, roubo e fuga de criminoso

2877
Print Friendly, PDF & Email

Após ser baleado por comparsa de bandido, agente penitenciário foi contido por seguranças do hospital, ao ser confundido com criminoso

Por Kleber Karpov

Na noite desta segunda-feira (16/Mar), um agente penitenciário de Novo Gama (GO), supostamente foi confundido por vigilantes do Hospital Regional do Gama (HRG), após ser contido e baleado no HRG. Relatos apontam que o profissional de segurança pública conduzia um criminoso para atendimento no Pronto Socorro do HRG e foi surpreendido e baleado pelo comparsa do marginal ao tentar resistir a ação. Os criminosos efetuaram, também, vários disparos, um desses em um motorista estacionado em frente a unidade, para roubar o carro em que efetuaram fuga.

Publicidade

De acordo com testemunhas, o caso ocorreu após o agente penitenciário ser surpreendido pelo comparsa de um marginal, conduzido para receber atendimento no HRG. Após render o criminoso, o outro teria pedido a camisa. Porém, a autoridade da segurança pública, tentou reagir e acabou baleado por um dos pelos bandidos.

O auge da confusão é que o agente acabou por ser, também, confundido e contido por vigilantes do hospital. Isso por, supostamente, ter adentrado no HRG, sem se identificar como autoridade penitenciária.

https://soundcloud.com/karpovls/tragicomico-hospital-regional-do-gama-vira-palco-de-tiroteio-confusao-roubo-e-fuga-de-criminoso

Um vídeo gravado por testemunhas, é possível ver o agente penitenciário, sem camisa e ferido, sentado no chão. O profissional de segurança pública explicava aos presentes que era agente, do Novo Gama (GO), e precisava avisar ao diretor, sobre a fuga do bandido. “Pelo amor de Deus, não faz isso não. Sou agente penitenciário e tenho que avisar meu diretor sobre a fuga do preso.”.

Tiroteio

Embora os relatos sejam desencontrados, testemunhas afirmam que entre a contenção do agente penitenciário e o roubo do carro, cerca de 10 disparos foram efetuados pelo comparsa.

Uma enfermeira do HRG, chegou a classificar a ação como “faroeste no PS” do hospital do Gama, ao narrar que não sabia a direção dos tiros pois saiu correndo.

Politica Distrital (PD) aguarda retorno da Polícia Civil do DF (PCDF) para mais informações.

Artigo anteriorOsnei Okumoto deixa Secretaria de Saúde do DF
Próximo artigoSão Paulo registra primeira morte por Covid-19 no país