Tragicômico: Hospital Regional do Gama vira palco de tiroteio, confusão, roubo e fuga de criminoso

1926


Print Friendly, PDF & Email

Após ser baleado por comparsa de bandido, agente penitenciário foi contido por seguranças do hospital, ao ser confundido com criminoso

Por Kleber Karpov

Na noite desta segunda-feira (16/Mar), um agente penitenciário de Novo Gama (GO), supostamente foi confundido por vigilantes do Hospital Regional do Gama (HRG), após ser contido e baleado no HRG. Relatos apontam que o profissional de segurança pública conduzia um criminoso para atendimento no Pronto Socorro do HRG e foi surpreendido e baleado pelo comparsa do marginal ao tentar resistir a ação. Os criminosos efetuaram, também, vários disparos, um desses em um motorista estacionado em frente a unidade, para roubar o carro em que efetuaram fuga.

De acordo com testemunhas, o caso ocorreu após o agente penitenciário ser surpreendido pelo comparsa de um marginal, conduzido para receber atendimento no HRG. Após render o criminoso, o outro teria pedido a camisa. Porém, a autoridade da segurança pública, tentou reagir e acabou baleado por um dos pelos bandidos.

O auge da confusão é que o agente acabou por ser, também, confundido e contido por vigilantes do hospital. Isso por, supostamente, ter adentrado no HRG, sem se identificar como autoridade penitenciária.

Publicidade

https://soundcloud.com/karpovls/tragicomico-hospital-regional-do-gama-vira-palco-de-tiroteio-confusao-roubo-e-fuga-de-criminoso

Um vídeo gravado por testemunhas, é possível ver o agente penitenciário, sem camisa e ferido, sentado no chão. O profissional de segurança pública explicava aos presentes que era agente, do Novo Gama (GO), e precisava avisar ao diretor, sobre a fuga do bandido. “Pelo amor de Deus, não faz isso não. Sou agente penitenciário e tenho que avisar meu diretor sobre a fuga do preso.”.

Tiroteio

Embora os relatos sejam desencontrados, testemunhas afirmam que entre a contenção do agente penitenciário e o roubo do carro, cerca de 10 disparos foram efetuados pelo comparsa.

Uma enfermeira do HRG, chegou a classificar a ação como “faroeste no PS” do hospital do Gama, ao narrar que não sabia a direção dos tiros pois saiu correndo.

Politica Distrital (PD) aguarda retorno da Polícia Civil do DF (PCDF) para mais informações.