Saúde institui Centro de Operações de Emergência contra coronavírus

Criação dele foi publicada no DODF desta sexta-feira (28)

95
Print Friendly, PDF & Email

O Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE) para enfrentamento ao coronavírus (Covid-19) foi oficialmente criado, nesta sexta-feira (28), com a publicação da Portaria n° 127 no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). O COE é formado por 19 gestores e suplentes da Secretaria de Saúde, que alinharão as ações de combate ao Covid-19.

Entre as atribuições do centro, estão: analisar os padrões de ocorrência, distribuição e confirmação dos casos suspeitos de coronavírus no DF; elaborar os fluxos e protocolos de vigilância, assistência e laboratório; capacitar servidores da Secretaria de Saúde e das unidades privadas de saúde, de forma a ampliar o potencial de resposta contra a doença; e subsidiar os gestores com informações técnicas sobre o assunto, para a melhor tomada de decisões.

“O que será feito no COE é a avaliação de todas as medidas que estão sendo tomadas para prevenir o coronavírus. Em um primeiro momento, estamos avaliando caso a caso dos pacientes suspeitos, do ponto de vista epidemiológico. São reuniões fechadas porque estamos lidando com informações confidenciais dos pacientes, o que exige sigilo profissional”, informou o secretário adjunto de Assistência à Saúde, Ricardo Tavares.

Dependendo da forma como o coronavírus se comportar no Distrito Federal, o centro de operações também poderá liberar boletins epidemiológicos semanais ou mesmo diários sobre a situação, caso seja necessário. “Até o momento, não tivemos alteração na situação. Estamos com cinco casos sendo investigados no DF, e continuamos aguardando o resultado dos exames laboratoriais”, ressaltou o secretário adjunto.

Além disso, os representantes do centro de operações atuarão de forma conjunta e em parceria com outros órgãos, como o Corpo de Bombeiros, Secretaria de Educação, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Defesa Civil, Rede Hospitalar Privada, bem com o Ministério da Saúde, o Conselho de Saúde do Distrito Federal (CLDF) e outras entidades representativas da sociedade.

A previsão inicial é que o COE atuará por seis meses, com possibilidade de prorrogação por períodos consecutivos, após a análise da situação epidemiológica do coronavírus no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) do DF.

ANÚNCIO – A criação do COE foi anunciada pelo secretário de Saúde, Osnei Okumoto, durante uma coletiva de imprensa realizada na quinta-feira (28). Na ocasião, o titular da pasta destacou a importância de estabelecer um Centro de Operações de Emergência como ferramenta para administrar a situação do coronavírus, que até o momento, não foi confirmada no DF.

“De uma maneira geral, o COE é uma forma de responder a contento a situação, e de maneira organizada”, informou Okumoto na ocasião. “Todas as informações necessárias serão dadas através dos boletins emitidos pelo Centro de Operações de Emergência”, ressaltou.

Instaurar um centro de operações se tornou necessário em decorrência da quantidade de países que atualmente apresentam o Covid-19, além de um caso ter sido confirmado em São Paulo. Os sintomas iniciais do coronavírus incluem febre, coriza, tosse, falta de ar e diarreia. O período de incubação estimado varia entre zero a 24 dias.

ACESSO – O atendimento deve ser procurado, inicialmente, nas unidades básicas de saúde (UBSs) mais próximas das residentes. Caso necessitem de internação hospitalar, os pacientes serão direcionados ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran), considerado referência para os atendimentos à população local.

No caso de crianças ou adolescentes até 13 anos e grávidas, o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) será a referência. Já os pacientes com sintomas mais graves e das chamadas imunossuprimidas – em tratamento de HIV/Aids, de câncer do sangue ou que fizeram quimioterapia recente, o local para onde serão levados é o Hospital de Base.

Fonte: SES-DF