O Plantonista 20/Fev/2020

95


Print Friendly, PDF & Email

Celina Leão reage a ofensa de Bolsonaro a jornalista da Folha
“Liberdade de expressão e imunidade jamais podem ser confundidas com direitos a ofensa e falta de respeito! Como presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher, repudio essa atitude.”, afirma a deputada federal, Celina Leão (PP), em publicação no microblog Twitter, em referência a ofensa de Bolsonaro à jornalista Patrícia Campos Mello do jornal Folha de São Paulo.


Não gastava, mas também não fazia nada

“O problema é que alguns querem ser deputado, não querem proposta para a cidade e ataca quem já tem mandato. Tem que separar as coisas. Uma vez eu falei e foi até nota no correio Braziliense, que tinha um deputado aqui que dizia que não gastava nada, mas também não fazia nada.” disse o deputado distrital, Chico Vigilante (PT), ao se referir a críticas sofridas pela Câmara Legislativa.


E a Lagosta do STF e cartão corporativo de Bolsonaro?

Na discussão sobre as críticas ao Legislativo do DF, assim como outros distritais, lembrou que embora o Legislativo seja alvo de constantes ataques, outras esferas do poder, passam ‘batidas’. Sob essa ótica, o distrital Reginaldo Veras (PDT), mandou na lata.

Publicidade

“É claro que a discussão vai muito além do poder legislativo local. O cartão corporativo do presidência da república é milionário,  tem que acabar. O Supremo Tribunal Federal, estava comprando lagosta. Então esse tipo de discussão passa por todos os poderes republicanos e quem tem que cobrar isso é a sociedade, o eleitor.”, disse Veras.


Gastos com TPDs pode ser reduzido com devolução de servidores do IGESDF à Secretaria de Saúde

A Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), pagou quarta-feira (19), R$ 5,4 milhões para cerca de 4 mil servidores da Saúde, referente ao Trabalho por Período Determinado (TPD) realizado por eles em dezembro do ano passado.

A pasta pondera que, com a chegada de servidores que optaram por não ficar cedidos ao Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF), aliada à ampliação de carga horária de centenas de servidores, de 20 horas para 40 horas semanais de trabalho, a expectativa é que o investimento com TPD reduza gradativamente.