Hospital Regional de Santa Maria inaugura Sala Vermelha e box de emergência

Ao todo, 10 leitos foram abertos

229


Print Friendly, PDF & Email

Com a inauguração da Sala Vermelha de Trauma Adulto e do box de emergência pediátrica, o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) comemorou, na quarta-feira (19), o primeiro ano de atuação do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF).

Na Sala Vermelha de Trauma Adulto foram abertos quatro leitos. No box infantil, são seis leitos, sendo quatro comuns e dois de isolamentos, que contam com sistema de ventilação capaz de impedir a disseminação de agentes contaminadores.

Também foi entregue o novo posto de coleta avançado para que as pacientes do centro obstétrico do hospital façam exames laboratoriais com mais comodidade, já que não terão que se locomover para outro setor.

“Aqui, sabíamos que tínhamos um hospital com todo potencial, e, com todas as melhorias que foram implantadas pelo IGESDF, estamos tendo resultados”, afirmou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

MELHORIAS – “Com a chegada do IGESDF, o Hospital Regional de Santa Maria está sendo brindado com diversas obras”, destacou o superintendente do HRSM, Fabiano Dutra. “Podemos nos orgulhar, porque fizemos uma grande diferença e melhorias significativas em 2019.”

Publicidade

Conforme os dados, no ano passado, o HRSM registrou 45 mil consultas a mais no pronto-socorro nas especialidades de clínica médica, cirurgia geral, ortopedia e pediatria, o que representa um aumento de 32%.

Também foram investidos R$ 4,6 milhões em trabalhos como a implantação do serviço de Hospital Dia, a ativação da Sala Vermelha da clínica médica e a reforma do refeitório, da cozinha e das guaritas. Encontra-se em fase final a construção de uma nova sala de repouso para profissionais de saúde. Foram feitos, ainda, reparos nas portas e pintura das enfermarias, entre outras ações.

“Sabemos que muitas pessoas encontram nas mãos desses profissionais o tratamento humanitário”, valorizou o secretário de Atendimento à Comunidade, Severino Cajazeiras. “Um simples sorriso ajuda o paciente a se sentir melhor. Essa humanização é fruto desse trabalho.”

Fonte: Iges-DF