Com intervenção de Jorge Vianna CLDF aprova PL substitutivo que garante, para 2020, preceptores aos residentes da ESCS

397
Print Friendly, PDF & Email

Sancionado pelo governador Ibaneis, cerca de 2.500 pessoas entre preceptores e residentes devem ser diretamente beneficiados

Por Kleber Karpov

A Câmara Legislativa do DF (CLDF) aprovou, nesta quinta-feira (11), em dois turnos, um substitutivo ao Projeto de Lei (PL) nº 2179/2018, de autoria do Executivo, apresentado pelo deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos). O PL dispõe sobre sobre a criação das funções de docência e de preceptoria nas carreiras Médica, Cirurgião Dentista, Enfermeiro na Assistência Pública à Saúde (APS) e garante a manutenção, em 2020, de residências de médicos e enfermeiros na Escola Superior de Ciências de Saúde (ESCS).

Publicidade

O substitutivo foi produzido pelo deputado, após o deputado alertar os colegas da CLDF (4/Dez), do risco de os residentes dos cursos de enfermagem e de medicina da ESCS ficarem sem preceptores. Isso em decorrência do anúncio, por parte do governo, do fim da concessão gratificação, para o próximo ano.

Antes da votação, Vianna explicou que a aprovação do substitutivo deve beneficiar cerca de 2.500 pessoas, desses, aproximadamente 1.000 preceptores e 1.500 residentes, ao garantir a manutenção da preceptoria para 2020. “São para os profissionais das carreiras dos médicos, odontólogos, enfermeiros poderem trabalhar como preceptores e terem uma pequena vantagem remuneratória, que se chama gratificação.”.

No substitutivo ao PL nº 2179/2018, proposto por Vianna, ficou estabelecido a concessão de Gratificação pela Atividade da Preceptoria (GAP), com valores variáveis entre R$ 937 a R$ 2.040, aos servidores da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), preceptores da ESCS. Montantes esses, mantidos conforme o projeto original, de modo a evitar possíveis questionamentos a exemplo de previsão orçamentária e de modo a não onerar os cofres públicos.

Docentes

Vianna se comprometeu ainda para, em 2020, apresentar projeto de lei, para resolver também a questão dos docentes, também com constantes ameaças de devolução dos servidores à SES-DF.

Solução essa, segundo o deputado, acordada com os profissionais de saúde que atuam na ESCS. “Não deixei de pensar e planejar, juntamente com a equipe da ESCS para que façamos, da mesma forma, a garantia dos docentes. Já me coloco a disposição para que no ano que vem, façamos um projeto para acabar de vez com esse fantasma de devolução de servidor para a secretaria de Saúde.”, disse Vianna.

Fonte: Jorge Vianna

Leave your vote

Artigo anteriorOsney Okumoto afirma que inundação no Hospital do Gama foi sabotagem
Próximo artigoCâmara aprova, em primeiro turno, cota para pessoas de baixa renda em concursos públicos