Em sessão ordinária da CLDF em Planaltina comunidade apresenta demandas da Saúde

137


Print Friendly, PDF & Email

Vianna apontou necessidade de construção de uma nova UBS e uma UPA em Planaltina

Por Kleber Karpov

Durante as sessões ordinárias realizadas, na terça-feira (19/Nov) e nesta quarta-feira (20/Nov), pela Câmara Legislativa do DF (CLDF), atividade do projeto ‘Câmara Mais Perto de Você’, que ocorreu na Região Administrativa (RA) Planaltina. A comunidade local apresentou uma série de demandas relativas a saúde, educação, segurança, infraestrutura, mobilidade, cultura, dentre outras. Na ocasião, deputados distritais apontaram a necessidade de construção de mais UBS e de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade.

Em uma das demandas, na saúde, a enfermeira conhecida por ‘Claudinha da Saúde’, apontou a necessidade de se realizar reformas das Unidades Básicas de Saúde (UBS).” Existe uma coisa que a Câmara Legislativa precisa estar atenta, nesse ano de 2019, somente R$ 638 mil foram direcionadas para reforma predial e melhoria das UBS. Temos 20 UBS tipo 1 e muitas estão em situação precária”, disse ao pedir maior aporte no orçamento para atender as unidades de Planaltina e agradecer o apoio de Vianna às demandas da Saúde no DF ao atender demanda da Comunidade da Bica do Der.

Na ocasião, Vianna reafirmou o compromisso com a RA e ratificou o compromisso com a Saúde Pública do DF. “É bom ouvir as reclamações, estamos aqui para isso. Precisamos de mais creches, de regularização e outras coisas, mas o que priorizo é a área de saúde, como falou a Claudinha. Sem isso, não avançamos em outros pontos”, disse o deputado Jorge Vianna (Podemos).

Publicidade

Vianna defendeu ainda a construção de mais uma UBS e de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na região administrativa. “Planaltina abriga a ‘BR da morte’ e não tem hospital esquipado para atender paciente politraumatizado”, completou.

Na mesma linha, a distrital, Arlete Sampaio (PT), também defendeu a construção de mais UBS e de UPA em Planaltina, disse ao convocar a população a pressionar o governo para implementar tais demandas. “Governo e feijão: só panela de pressão. Se não pressionar, as coisas não saem”.

Precariedade no quadrilátero

O deputado lembrou ainda que, o DF, geograficamente um retângulo, não tem hospitais devidamente equipados para atender pacientes politraumatizados, nos quatro quadriláteros da capital do país, portas de entradas da cidade, rodeadas por BRs.

“Uma das coisas que percebo em Brasília é que nos quatro cantos da cidade, nos quadriláteros existem hospitais e são justamente esses que têm mais dificuldade e são os mais precários. Temos Planaltina, Ceilândia que faz entorno juntamente com Brazlândia e o Gama, justamente os pontos que temos entorno. Esses hospitais, essas regiões são portas de entrada para o DF. Em que na sua grande maioria existem BR perigosíssimas, como nos conhecemos como essa BR aqui, a BR da morte e não temos hospitais equipados para atender pacientes politraumatizados. Vocês não tem ideia do que é pegar um paciente politraumatizado, aqui em Planaltina, e ter que leva-lo para o Hospital de Base, O tempo que perdemos com esse paciente é justamente o que ele precisaria para continuar a viver.”, disse.

Despejos em UBS

A distrital, Júlia Lucy (Novo), por sua vez, alertou que das 25 UBS do DF, 17 estão sem cobertura de locação, pois os contratos estão vencidos, a exemplo de Rajadinha, que segundo a deputada, está com ordem de despejo. “Não estamos vendo propostas para melhorar a saúde de Planaltina. Pelo contrário. Estamos caminhando para ordens de despejo.”, afirmou.