Prazo do programa Recupera é estendido até o dia 30 de novembro

108


Print Friendly, PDF & Email

Prorrogação tem o objetivo de aproveitar o pagamento do 13º salário. É importante não deixar a negociação para a última hora

O Programa de Recuperação de Créditos da CEB – Recupera terá o seu prazo estendido até o dia 30 de novembro. A prorrogação visa aproveitar o pagamento do 13º salário aos empregados de carteira assinada, aposentados, pensionistas e servidores do Distrito Federal.

Desde o lançamento do programa até o dia 25 de outubro, a CEB atendeu 12.292 clientes, negociou R$ 67,7 milhões e arrecadou, entre entradas e pagamentos à vista, R$ 13,4 milhões. Além desse valor já contabilizado, outra negociação de grande impacto foi realizada na quinta-feira passada (31/10). O Hospital Universitário de Brasília (HUB), fez um pagamento de R$ 4,4 milhões em contas de energia atrasadas.

No dia 9 de outubro, por exemplo, uma empresa de móveis ergonômicos aproveitou as condições de parcelamento do Recupera e negociou 60 parcelas iguais de R$ 11.609,48, totalizando R$ 696 mil para a quitação de débitos.

Para o diretor-comercial da CEB, Fabiano Cardoso, é importante que a população não deixe a negociação para a última hora. “Mais uma vez tivemos uma grande procura nos últimos dias do programa e nossas agências ficaram lotadas. Por isso, é importante procurar nosso atendimento o quanto antes para fazer uma negociação tranquila e sem riscos de perder novamente o prazo”, explica.

Publicidade

Sobre o Programa
Quem ainda quiser negociar os débitos com a CEB, que poderá ser pago à vista ou o com entrada de 20% e o restante dividido em até 60 vezes, deve procurar os postos do Na Hora ou qualquer agência de atendimento da Companhia.

Para os clientes que optarem pelo parcelamento, poderão incidir as taxas de financiamento de acordo com a quantidade de parcelas negociadas:

  • Até 5 parcelas iguais sem índice de financiamento;
  • Até 12 parcelas com índice de financiamento de 0,5% ao mês;
  • Até 24 vezes com índice de financiamento de 0,68%;
  • Até 36 vezes com índice de financiamento de 0,99%;
  • Até 60 vezes com índice de financiamento de 1,50%.

Para parcelamento sem entrada, ou com entrada inferior a 20%, será exigido avalista.

Fonte: Agência Brasília