Distritais criticam recentes exonerações na Saúde: ‘Não resolvem o problema’

243


Print Friendly, PDF & Email

Deputado Reginaldo Veras (PDT): “O governo transfere a culpa para o servidor”

Por Denise Caputo

As duas últimas edições do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) anunciaram a exoneração de Sócrates Ornelas, então diretor do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), e de Luciano Almeida, que estava à frente da Região de Saúde Central. As demissões, que aconteceram após a suspensão de cirurgias no HRAN por problemas no ar-condicionado, receberam críticas de parlamentares na sessão da Câmara Legislativa desta quinta-feira (10).

Para o deputado Professor Reginaldo Veras (PDT), primeiro a tratar do assunto em plenário, a decisão do governador Ibaneis Rocha “não resolve o problema”: “O Dr. Sócrates e o Dr. Luciano são empenhados e competentes servidores públicos e foram exonerados porque o ar-condicionado não estava funcionando. Inúmeros pedidos de reparação haviam sido feitos. O ar não funciona porque é o mesmo há 38 anos”, disse. Veras lembrou que o HRAN já teve outros três diretores apenas este ano e defendeu que “o governo transfere a culpa para o servidor para ludibriar a população”.

O deputado Chico Vigilante (PT) também criticou as exonerações: “Não há condição para desempenhar as funções. Os recursos estão todos centralizados na Secretaria de Saúde”.

Publicidade

Outro distrital a dirigir críticas ao governo foi o deputado Leandro Grass (Rede): “São respostas que não geram soluções ao problema”. O distrital ainda lamentou a falta de repasses do GDF para clínicas credenciadas para oferecer serviços de hemodiálise a pacientes com problemas renais. “Tem dinheiro para pagar os supersalários do IgesDF, muitos acima do teto constitucional, mas não tem para pagar elementos essenciais”, condenou.

Fonte: CLDF