Jorge Vianna critica nomeações de gestores acusados de assédio moral na Secretaria de Saúde

379


Print Friendly, PDF & Email

Parlamentar ressaltou ainda que gestores ligados à gestão do ex-governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), acusados de assédio, foram ‘premiados’, no atual governo

Por Kleber Karpov

Nesta terça-feira (8), o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), utilizou a tribuna da Câmara Legislativa do DF (CLDF), para criticar a nomeação de gestores na Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), de pessoas acusadas de praticar assédio moral contra servidores da saúde. Em um tom duro, Vianna chamou de abutres, os responsáveis por tais práticas nas unidades de saúde do DF.

Durante a fala, Vianna lembrou que chegou a apresentar um projeto de lei, para tentar proibir que pessoas acusadas de praticar assédio moral, fossem nomeadas em cargos de chefia, nos órgãos do GDF.

“Eu demorei muito a vir a tribuna, para falar sobre assédio moral. Não é possível, que a Secretaria de Saúde não consiga combater esse crime, que está debaixo das barbas do secretário de saúde [Osnei Okumoto] sem ter que, nós deputados, vir aqui fazer reclamações para o governo. Cadê a equipe do governo? Não é possível que não estão nos grupos de Whatsapp, vendo os vídeos e o que está acontecendo na Secretaria de Saúde. Ex-gestores do governo Rollemberg, que foi reprovado, quase que por unanimidade pelos servidores da saúde continuam na gestão. Não é possível uma diretora administrativa do Hospital Regional do gama, falar que os enfermeiros têm uma inimiga mortal. Não é possível que uma servidora que trabalhava na regional de São Sebastião, seja nomeada como coordenadora na Atenção Primária.”, disparou Vianna.

Publicidade

Rollemberg

O deputado lembrou ainda, que se tornou vítima das práticas de assédio, durante a gestão de Rollemberg. Na ocasião, enquanto vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF), o parlamentar denunciou a falta de estrutura de uma locação, onde funcionava uma Unidade Básica de Saúde (UBS). No loca, uma paciente veio a óbito, por falta de equipamentos para que a médica pudesse tentar reverter uma parada cardiorrespiratória.

“Em São Sebastião teve um episódio em que colocaram a equipe em uma casinha alugada, sem estrutura nenhuma, e eu falei: –  Vai morrer gente, porque não tem estrutura. De fato, morreu. Eu fui para a mídia falar: – Falei que ia morrer, e tentaram me processar, porque eu consegui um documento, de uma médica que falou: – Eu não fico mais aqui, porque não tem condições. E essa pessoa [gestora], com prêmio [na atual gestão], depois de ter feito tudo isso na Secretaria de Saúde, foi nomeada como coordenadora da Atenção Primária. Esse é o prêmio para aqueles que assediam os servidores? Será que falta gestor, pessoas qualificadas para assumir cargo? Governador Ibaneis, preste atenção na Saúde. Não deixe esses abutres continuar a fazer assédio com os servidores.”, disse Vianna.

Rollemberg

Vianna, mencionou também, outro caso, de um ex-superintendente da Região Norte, da gestão de Rollemberg, promovido no atual governo, promovido a secretário-adjunto. “É assediador, persegue servidor e é promovido.”, disse o deputado, ao reafirmar a liberdade de realizar críticas e elogios as ações do governo, por não ter realizado indicações na SES-DF.

“Eu não vou aceitar, nenhum gestor assediar os trabalhadores. Já basta a gestão inteiro passado. Essa é minha reivindicação e bronca a secretaria de Saúde. Graças a Deus eu não indiquei, nem subsecretário, secretário, superintendente, nem diretor de hospital, porque assim eu posso vir aqui criticar e elogiar.”, disse ao deixar claro que a ‘bronca’ era direcionada ao segundo escalão da Secretaria de Saúde.

Confira a fala!