Secretaria de Saúde do DF nega fechamento de pediatria do HRAN

306


Print Friendly, PDF & Email

No entanto, memorando da Gerência de Assistência Clínica da Unidade de Pediatria decidiu por remanejamento, bloqueio de leitos na unidade

Por Kleber Karpov

Na última semana, Política Distrital (PD) recebeu denúncias de diversos servidores da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), sobre o fechamento da pediatria do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN). Sob sigilo de identidade, os denunciantes apontam o déficit de profissionais que levaram a decisão de suspender o serviço.

Apreensiva com tal possibilidade, uma servidora do HRAN, sob sigilo de identidade, encaminhou ao PD, uma Carta Aberta ao Público, em que manifestou preocupação com o “o sério risco de ter seus serviços suspensos na organização”, dado a falta de pediatras na unidade.

Carta aberta ao público.

Publicidade

É com muito pesar e preocupação que comunicamos que a Pediatria do HRAN corre o sério risco de ter seus serviços suspensos na organização da SES-DF.

Por diversos anos a pediatria sofre com essa perspectiva, ora por falta de profissionais – médicos e equipe de enfermagem, ora por questões políticas internas do hospital ou da própria SES.

Desde de julho de 2001, quando foi aberto o serviço de Pediatria no HRAN, todos os profissionais que aqui passaram, e que estão, sempre se doaram com competência, zelando pelo respeito à ética e pelo bom atendimento à população.

A Unidade de Pediatria do HRAN representa 5% do total de atendimentos as crianças do Distrito Federal, um número expressivo comparado com outras Unidades que possuem um número maior de profissionais médicos e representa um total de 3% dos atendimentos infantis.

Hoje contamos com 13 leitos de internação, e mais 11 leitos de Observação, com 1 box de emergência. Somos suporte aos programas dos fissurados, oftalmologia, otorrinolaringologista e cirurgia plástica.

Importante ressaltar que estamos em uma posição geográfica favorável, próximo à rodoviária central de Brasília, e damos suporte aos excedentes de diversos hospitais infantis, incluindo o HMIB.

Sempre nos colocamos a disposição com os gestoras da SES, inclusive propondo opções que contribua  com a melhoria do atendimento em saúde  a essa parcela da população que cada vez mais sofre com a falta de pediatra.

Toda a equipe está na luta, querendo permanecer com o ótimo trabalho já iniciado em nossa Unidade, que se reflete em tantos elogios na ouvidoria.

Mais uma vez a equipe se une e reafirma nosso compromisso pautado no interesse do bem estar de tantas crianças que precisam acessar o serviço público de saúde.

Brasília, 21 de setembro de 2019

Outro profissional de saúde do HRAN, também sob sigilo de identidade, apontou o que classificou de “absurdo”, o fechamento da unidade. “Pediatras lotados no HRAN mais não  atende porta aberta. Se estão lotados no HRAN porque não são  escalados para atender porta. Estão desviados de função? Quantas horas o HRAN tem de pediatras e quantas horas temos de porta aberta no HRAN na pediatria? Será que não  seria readequação  de escalas dos médicos?”, questionou.

O servidor criticou ainda, a liberação de pediatras, por parte da gestão, para retirar licença sem vencimento, por dois anos, dado a falta de médicos na unidade.  “Faltando médicos e a superintendência liberando médico para licença de 2 anos sem vencimento. Absurdo. Se vc precisa de que tenha atendimento no pronto socorro da pediatria, como o superintendente não nega esses pedidos de licença? A prerrogativa é dele. Será que o corporativismo sempre vai falar mais alto na SESDF ou se deve dar a prioridade ao atendimento a população, as mães das crianças que ficam de um lado para o outro procurando ser atendidos. Com falta de algumas atitudes dos gestores que a população pode ver mais um serviço de grande necessidade ser fechado.”.

Documento fornecido ao PD

O que diz a SES-DF?

Questionada sobre o assunto, por meio da Assessoria de Comunicação, a SES-DF, refutou a possibilidade de fechamento da pediatria do HRAN. Além de informar que deve contratar cinco novos pediatras para reforçar a escala do Pronto-Socorro. “A Superintendência da Região de Saúde Central esclarece que não procede a informação, nem a intenção, em fechar a emergência pediátrica do Hospital Regional da Asa Norte. Nos próximos dias, o HRAN deverá receber mais cinco pediatras para reforçar a escala do pronto-socorro. A superintendência está tomando todas as medidas para reforçar as escalas e, com isso, prestar um atendimento de qualidade aos pacientes que procuram o hospital.”.

Ainda segundo a pasta, a ala pediátrica do HRAN deve passar por reformas, e que atua para nomear 67 pediatras, aprovados no último concurso público. “Além disso, a unidade possui contrato de manutenção predial que prevê a reforma da ala pediátrica, que esteve por quatro anos sem contrato de manutenção. A Secretaria de Saúde está tomando as providências para nomear 67 pediatras aprovados no último concurso e, com isso, reforçar as escalas das emergências do DF. O déficit de profissionais desta especialidade é um problema nacional e que esta gestão está empenhada em solucionar.”.

Amparo

Porém, a preocupação dos profissionais de saúde do HRAN, que denunciaram o fechamento da unidade, vai além de mera especulação. Isso porque o Memorando SEI-GDF Nº 118/2019 – SES/SRSCE/HRAN/GACL/UPED, de 18 de setembro, assinado pela Supervisora de Enfermagem do HRAN, RUTH GERALDA GERMANA MARTINS, e pela Referência Técnica Assistencial (RTA), ROBERTA SOUZA DA SILVA LEAO, apontam para decisões de remanejar pacientes internados na pediatria, bloqueio dos leitos existentes para a Central de Leitos e para cirurgias eletivas pediátricas, além da convocação de reunião de emergência com os membros da da SES-DF, para discutir sobre “a crise instalada” na unidade.

O documento aponta ainda o alerta que “Diante do cenário agravado não é possível manter o serviço aberto sem que sejam tomadas medidas emergenciais para a falta de pediatras nessa unidade”.

Problema recorrente

A falta de pediatras na SES-DF é um problema recorrente e a ameaça, também, é real. Um dos problemas enfrentados na gestão da saúde pública, durante a gestão do ex-governador do DF, Agnelo Queiroz (PT), foi a falta de pediatras, período esse em que o Hospital Regional do Gama (HRG) chegou a ter a suspensão de atendimentos pediátricos, além de se cogitar o fechamento da pediatria do HRAN.

Durante o governo do sucessor, Rodrigo Rollemberg (PSB), houve o fechamento da pediatria e do Pronto Atendimento Infantil (PAI) do Hospital Regional do Gama (HRG). Serviço esse transferido para o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM)(Mai/2019). Isso poucos meses depois de Rollemberg anunciar a reabertura do PAI daquela unidade.