Deixar 13 mil pessoas sem água é desumano, afirma Jorge Vianna, sobre comunidade na Estrutural

113


Print Friendly, PDF & Email

Distrital faz apelo à sensibilidade do Executivo para resolver problema que afeta moradores da Comunidade de Santa Luzia

Por Kleber Karpov

Na quarta-feira (4), o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), utilizou a tribuna, durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa do DF (CLDF), para tentar sensibilizar o governo, em relação a suspensão do fornecimento de água, há cerca de 20 dias, à comunidade de Santa Luzia na Região Administrativa Estrutural. A manifestação do parlamentar se deu após receber as senhoras Renata Prado e Cris Araújo, representantes da Organização Não Governamental (ONG) Boa Ação, que denunciaram que até mesmo creches foram afetas.

Segundo Vianna, embora a comunidade Santa Rosa esteja situada em uma área de ocupação irregular, a denúncia da ONG foi considerada “gravíssima”, pelo parlamentar. Isso porque os 13 mil moradores deixaram de ser contemplados por um direito constitucional.

“São 13 mil seres humanos estão sem água e nós não podemos achar isso, normal.”, disse ao lembrar a responsabilidade dos parlamentares, bem como do Poder Executivo, para buscar uma solução, dado o impasse, uma vez que a comunidade esteja em uma área de ocupação irregular. “Não estou defendendo irregularidade. Estou defendendo um direito constitucional, de [acesso a] água.”, concluiu.

Publicidade

Fonte: Jorge Vianna