Secretaria de Saúde descarta dois casos suspeitos de sarampo no DF

34


Print Friendly, PDF & Email

Outros três continuam em investigação

Por Leandro Cipriano

Dois dos cinco casos suspeitos de sarampo no Distrito Federal foram descartados pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, nesta terça-feira (13). Todas as ocorrências sob investigação são de moradores do Distrito Federal que, em algum momento, viajaram para São Paulo ou fizeram contato com pessoas daquele estado, que está com surto da doença.

“Agora que dois foram descartados, temos trabalhado para averiguar os outros três, ainda em investigação. Há casos em que as respostas podem ser mais rápidas, outros em que podem demorar, a depender da necessidade de mais coletas e da logística com outros laboratórios, caso precise”, destacou a gerente de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e de Transmissão Hídrica e Alimentar, Renata Brandão.

A resposta pode sair entre sete e 60 dias, a depender do resultado inicial. Em caso positivo, uma nova amostra é enviada a um laboratório de referência do Ministério da Saúde.

Publicidade

O ressurgimento do sarampo no Brasil, em especial, em quatro estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Bahia), fez a vigilância à doença aumentar no DF. Por aqui, nenhum caso foi confirmado. Porém, no último final de semana, cinco casos entraram em investigação, todos eles vinculados a São Paulo.

Segundo Renata Brandão, o sarampo é uma doença contagiosa, de alta transmissibilidade. Pode alcançar adultos e crianças, com risco de complicações graves e até de evolução para óbito, reforça a gerente.

Sintomas

É suspeito de ter sarampo todo indivíduo que apresenta febre e manchas avermelhadas pelo corpo, acompanhadas de um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, independentemente da idade e da situação vacinal.

Caso a pessoa possua esses sintomas, deve procurar a unidade de saúde mais próxima e informar ao profissional sobre os sintomas e/ou se teve contato com algum caso suspeito. Devido à doença ser altamente contagiosa – estima-se que uma pessoa doente transmita o vírus para outras 18 –, recomenda-se que os casos suspeitos evitem deslocamentos desnecessários.

Se for identificado algum viajante com os sintomas da doença, é necessário reportar o caso ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde do DF (Cievs). Os contatos são feitos pelo e-mail cievsdf@gmail.com ou pelos telefones 99221-9439 ou 2017-1145, ramal 8323.

Fonte: Agência Saúde DF