HRC cria ambulatório para reforçar atendimento pediátrico

70


Print Friendly, PDF & Email

Três especialistas atendem na unidade, de segunda a sexta-feira

O Hospital Regional de Ceilândia (HRC) criou um ambulatório específico para atender pacientes encaminhados do pronto-socorro pediátrico da unidade. Com o suporte de três médicos, o serviço tem como objetivo reforçar a linha de cuidados da Pediatria. Os pediatras atendem em horário ambulatorial, de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

“O Ambulatório fica dentro da Atenção Secundária para dar cobertura aos pacientes da emergência. Testamos a ideia e vimos que deu certo. Até março deste ano, por exemplo, atendemos quase 700 pacientes”, afirmou a superintendente da Região de Saúde Oeste, Alessandra Ribeiro.

A unidade começou a funcionar, de forma piloto, ainda em fevereiro, com a vinda dos novos pediatras – dois trabalhando 40 horas por semana e um, 20 horas. Nesse período, até o dia 9 de julho, os três médicos fizeram 3.928 consultas, sendo 120 delas retorno. A média de atendimentos tem sido de 15 crianças por período.

“O dia que tem os três médicos na escala, atendemos 45 pacientes de manhã e 45 de tarde. São 90 crianças em um único dia. Isso dá um aumento significativo nos atendimentos”, informou o gerente de Enfermagem do HRC, Vanderson Rodrigues.

Publicidade

Ideia

Segundo o gerente, a ideia de criar o ambulatório surgiu da necessidade de melhorar a assistência aos pacientes. Dessa forma, três salas foram separadas, na Atenção Secundária do hospital, para instalar a nova unidade.

“Como os pacientes chegam à Pediatria e, nem sempre, são totalmente absorvidos pelo atendimento de lá, eles podem ser encaminhados para o Ambulatório. Os pediatras atendem como alergistas e também fazem o acompanhamento da Clínica Médica”, ressaltou.

Um desses pediatras é Leonardo Nunes, que atende no ambulatório das 7h ao meio-dia, quatro dias na semana. “Procuramos resolver o máximo que podemos. Nesse tempo, o trabalho tem fluido muito bem”, resumiu.

Para Milena Amâncio, 20 anos, que levou sua filha Ayla, de seis meses, para o HRC, a iniciativa do ambulatório é muito bem-vinda. “Ela estava com coriza, febre e vomitando. Nas duas vezes que estive aqui, este ano, o atendimento foi bem rápido. Achei muito bom”, elogiou.

Fonte: Agência Saúde DF