Samu e Corpo de Bombeiros integram serviços de urgência e emergência no DF

417


Print Friendly, PDF & Email

Iniciativa começou no Gama e no Plano Piloto nesta segunda-feira

Por Leandro Cipriano

A integração entre os atendimentos prestados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) começou nesta segunda-feira (15). A iniciativa, prevista na Portaria Conjunta n°40/2018, cria o Serviço Unificado de Atendimento Pré-Hospitalar (Suaph) para os atendimentos de urgência e emergência.

Nesse primeiro momento, duas viaturas do Corpo de Bombeiros, uma do Gama e outra do Plano Piloto, começaram a trabalhar com enfermeiros do Samu para os atendimentos que envolvam algum procedimento medicamentoso. A partir do segundo semestre deste ano, está previsto colocar um socorrista dos Bombeiros em cada viatura do Samu. A ideia é expandir a integração para todo o DF.

Ao longo de seis meses, foi necessário alinhar todo o trabalho realizado entre os dois órgãos em urgência e emergência, com reuniões, visitas às unidades, além de cumprir todo o trâmite por parte da Secretaria de Saúde. Segundo o médico e diretor do Samu, Alexandre Garcia, a integração trará vantagens na operacionalização dos serviços.

Publicidade

“A primeira vantagem é a otimização dos recursos. Às vezes, duas viaturas eram deslocadas para atender o mesmo caso, porque uma pessoa ligava para o Samu e outra para o Corpo de Bombeiros. Agora, isso vai diminuir, porque, se ligarem para as duas unidades, nosso enfermeiro na viatura dos Bombeiros aciona o Samu, avisando que já está a caminho”, conta Garcia.

Outro ponto positivo, ressaltado pelo diretor, é que as viaturas com enfermeiros permitem ter alguém experiente em medicação, ampliando o tipo de atendimento oferecido pelos bombeiros. “Vão poder transportar remédios, fazer pulsão, etc. Por hora, são enfermeiros ajudando e, mais à frente, também virão técnicos de enfermagem, todos sob a orientação de um médico da Central de Regulação do Samu”, explica.

A ideia é que, quando a integração estiver avançada, os usuários liguem e sejam perguntados se o serviço é clínico ou não. Se for, enviam a viatura completa. Se não for, como no caso de uma árvore caída, por exemplo, será enviada uma viatura dos Bombeiros sem o profissional do Samu.

TELEFONES – Os números 193, do Corpo de Bombeiros, e 192, do Samu, continuarão funcionando de forma independente. Contudo, a Portaria n°40 prevê que as linhas também sejam integradas e direcionadas para apenas uma central.

“Por enquanto, estamos na fase de adaptação. Por isso, estamos fazendo somente ações pontuais. À medida que os serviços estejam cada vez mais integrados, apenas uma linha será necessária”, ressalta o diretor.

A portaria que prevê a integração é de 5 de dezembro de 2018 e foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) em 13 de dezembro, na página 6.

Fonte: Agência Saúde DF