HMIB faz inserção de 225 dispositivos intrauterinos

34
Print Friendly, PDF & Email



Outras 225 mulheres colocarão o DIU dia 29 de junho, completando a ação da última segunda-feira

Por Janiara Lara

Na manhã deste sábado (22), 225 mulheres compareceram ao Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) para a inserção do Dispositivo Intrauterino (DIU), conforme agendado na última segunda-feira (17). Na ocasião, foram atendidas cerca de 1,1 mil mulheres interessadas na inserção do DIU do tipo T Cobre, não hormonal, quando também já foi feito o acolhimento, avaliação e oferecidas palestras.

Cerca de 450 mulheres assistidas no Hmib passaram pela avaliação dos médicos e residentes de Medicina e já saíram com as datas de inserção do DIU agendadas. Metade delas foi atendida hoje, e a outra metade, será no dia 29.

Publicidade

As demais, cerca de 650 que já fizeram a triagem, serão remanejadas para a Atenção Básica das regiões a que pertencem e, em parceria com o Hmib, terão o dispositivo inserido.

“Uma equipe de mais de 20 profissionais se disponibilizou para estar aqui, na manhã deste sábado, atendendo às pacientes que vieram em razão do nosso chamado e entenderam a importância do planejamento reprodutivo. Só tivemos como realizar tantos atendimentos de uma só vez por conta do comprometimento dos nossos médicos, residentes, enfermeiros, técnicos, seguranças, pessoal da limpeza”, conta a ginecologista e obstetra do Hmib, Andréia Regina Araújo.

As mulheres precisaram trazer um teste negativo de gravidez, solicitado a todas elas, no momento do acolhimento, e também ler e assinar um termo de consentimento para colocar o DIU que esclarece todas as questões sobre o uso do dispositivo, inclusive informa que ele não previne as doenças sexualmente transmissíveis.

Para Helena Alves de Sousa, 24 anos, essa ação foi fundamental para que ela e o marido pudessem ter mais tranquilidade de que não passariam por uma gravidez inesperada. “Já temos um casal de filhos e não pensamos em ter outro tão cedo. Como não me adapto a hormônios, a inserção do DIU vai mudar a minha vida para muito melhor. Já tem mais de um ano que estamos usando só preservativo, o que não é tão tranquilo assim”, explica.

Com apenas um filho, mas sem planos de ter outro, por enquanto, Andreza Braga, microempresária, chegou cedo e foi uma das primeiras a ser atendida. “Cheguei antes das 6h e, logo que abriu o atendimento, fui chamada. Valeu muito a pena ter participado desta ação do Hmib. Eu estava tentando colocar o DIU na rede particular, mas, por conta do preço, ficou inviável para mim. Aqui, coloquei de graça, fui muito bem atendida pela equipe e estou voltando para casa com a tranquilidade de estar usando um método contraceptivo eficaz. Não tendo de me preocupar mais em não me esquecer de tomar o remédio todo dia”, comemora ela.

“A mulher precisa saber que não é necessário que ela se esterilize para poder ter o direito planejar quantos filhos quer e no momento em que julgar certo. O DIU tem validade de dez anos, mas pode ser retirado a qualquer momento antes disso, caso a mulher resolva engravidar”, esclarece a médica Andréia Araújo.

“Levando em consideração a nossa vocação materna e infantil, essa ação é de grande importância para as mulheres do DF, no sentido de orientar e levar todas as informações sobre os métodos contraceptivos e também sobre o planejamento familiar”, destaca o diretor do Hmib, Rodolfo Alves Paulo, que também agradeceu a todos os servidores envolvidos.

Fonte: Agência Saúde DF