Mais de 26 mil pessoas ficaram feridas, nos últimos dez anos, em acidente de trânsito no DF, aponta pesquisa do CFM

30
acidentes trânsito
Print Friendly, PDF & Email

Um levantamento realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) aponta que 26.390 pessoas do Distrito Federal ficaram feridas em acidentes de trânsito e foram atendidos pelo Sistema Único de saúde (SUS) nos últimos dez anos. De acordo com a análise, essas internações representaram um custo superior a 46 milhões, somente aos cofres federais.

Entre 2009 e 2018, houve um crescimento de 33% na quantidade de internações em todo o País. O pior cenário, proporcionalmente, foi identificado no estado de Tocantins, que saiu das 60 internações, em 2009, para 1.348, no ano passado (aumento de 2.147%). Já o Distrito Federal, teve uma queda de 16%. Em 2018, foram 2.253 internações, o que representa uma diminuição do número de internações por acidente de transporte em relação ao ano de 2009, que foi de 2.693.

No Brasil, a cada 60 minutos, em média, pelo menos cinco pessoas morrem vítimas de acidente de trânsito. Os desastres nas ruas e estradas do País também já deixaram mais de 1,6 milhão de feridos nos últimos dez anos, ao custo direto de quase R$ 3 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS).

No quadro nacional, o Distrito Federal teve uma melhora com redução significativa de 22%. Na região Norte, a mortalidade por acidentes subiu 30%. Da mesma forma, no Nordeste houve um crescimento de 28% dos casos. No Centro-Oeste também houve aumento do indicador (7%), enquanto nas regiões Sul e Sudeste apresentaram menor quantidade de óbitos em 2016, frente à 2007, com queda de 15% e 18%, respectivamente. Os estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná liderem o ranking nacional em números absolutos de mortes no trânsito durante os últimos dez anos.

Segundo o CFM, a cada hora, em média, cerca de 20 pessoas dão entrada em um hospital da rede pública de saúde com ferimento grave decorrente de acidente de transporte terrestre. Ao avaliar o volume total de vítimas graves do tráfego nos últimos dez anos (1.636.878), é possível verificar que 60% desses casos envolveram vítimas com idade entre 15 e 39 anos, sendo menor a frequência nas faixas etárias que vão de zero a 14 anos (8,2%) e em maiores de 60 anos (8,4%). Outra constatação: quase 80% das vítimas eram do sexo masculino.

Publicidade

Fonte: CRM-DF