GDF inicia força-tarefa para hidratação de pacientes com suspeita de dengue

207
hidratacao dengue
hidratacao dengue
Print Friendly, PDF & Email



Tendas foram montadas em seis cidades do DF e vão funcionar todos os dias, por três semanas

Por Josiane Canterle

O Governo do Distrito Federal lançou uma força-tarefa para tratar pacientes com suspeita de dengue pelas próximas três semanas. Serão seis centros específicos de atendimento para agir, de forma emergencial, no principal fator de atenção imediata à doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti – a hidratação. A ação começou às 12h deste sábado (25), em tendas de hospital de campanha que começam a ser montadas às 7h nas áreas das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Serão 36 pessoas trabalhando nessas unidades, com equipes formadas por um enfermeiro e cinco técnicos. Os profissionais interessados atenderão a uma circular da Secretaria de Saúde de convocação para crise.

Publicidade

Três ambulâncias do Corpo de Bombeiros (CBMDF) estão disponíveis para transportar os pacientes mais graves. A corporação também vai alterar o protocolo de atendimento para dar prioridade aos casos de dengue, mas sem deixar de atender às demais ocorrências emergenciais.

O governador em exercício, Paco Brito, abriu, em Planaltina e Sobradinho II, o mutirão organizados pela Secretaria de Saúde do DF. As tendas foram montadas em Planaltina, Varjão, Itapoã, Candangolândia, Estrutural e Sobradinho II.

Três semanas

Os centros de hidratação destinam-se à hidratação de quem está com suspeita de dengue. Pelas próximas três semanas, as tendas ficarão abertas todos os dias, de domingo a domingo, das 7h às 19h, com atendimento sendo feito por técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos. No local, estarão disponíveis hidratação oral e venosa, além de testes rápidos para diagnóstico da dengue.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, acompanhou a abertura das tendas na UBS 2 de Sobradinho II. Ele explicou a importância da hidratação para quem foi picado pelo mosquito: “A hidratação mantém a rigidez desse paciente e previne agravos que podem ser gerados pelo próprio vírus, melhorando a resistência do corpo contra. A mobilização visa padronizar o fluxo de atendimento dos pacientes que necessitam fazer a hidratação”.

Atendimento

“Foi uma bênção de Deus ter essa tenda aqui hoje”, reagiu Leni José Santiago, que levou sua mãe com sintomas de dengue para o atendimento na tenda. Ela foi a primeira paciente a ser atendida na estrutura montada na Unidade Básica de Saúde 4 de Planaltina, no início da tarde deste sábado, enquanto o governador em exercício fiscalizava as instalações que abrigam a força-tarefa para o atendimento aos pacientes com dengue.

“Nós montamos as tendas e uma verdadeira operação de guerra. Queremos agilizar o atendimento e reduzir a fila nos hospitais, oferecendo hidratação aos pacientes com sintomas da dengue. Hoje, de acordo com o Ministério da Saúde, estamos enfrentando uma epidemia e isso é resultado da falta de prevenção do governo anterior. Nós estamos tomando todas as providências com a maior agilidade possível. Essa ação foi definida ontem e, em menos de 24 horas, já está funcionando”, afirmou o governador em exercício, Paco Brito.

As instalações onde o fumacê é preparado já estão prontas e aguarda liberação do Ministério Público do Trabalho (MPT). “O governo está fazendo a sua parte e com muita rapidez. Precisamos que o MPT tenha mais agilidade na liberação do local porque o mosquito não espera”, avaliou Brito.

Dengue

O Protocolo de Manejo Clínico da Dengue é definido pelo Ministério da Saúde a partir dos sintomas apresentados. A pessoa tem suspeita de dengue se tiver febre persistente e mais dois sintomas, como dor no corpo, dor atrás dos olhos, vômito.

Nesses casos, o paciente será acolhido e classificado em quatro grupos, que vão desde encaminhamento dentro da rede – para hidratação oral e liberação – até a necessidade de internação em virtude da gravidade do caso. Não é preciso realizar o teste rápido ou sorológico para iniciar o atendimento ao paciente, mas ele é necessário para dar continuidade ao tratamento.

“Para evitar a doença, tem de ter manejo ambiental, evitar água empoçada e focos do mosquito para que não ele prolifere. Se há suspeita, já pode começar a tratar em casa, mantendo a hidratação, e ir a uma UBS, que é porta de entrada para o atendimento”, explicou o subsecretário de Atenção Integral à Saúde da pasta, Ricardo Ramos.

Confira a localização dos centros de hidratação:

  • Varjão – UBS 1 – Vila Varjão, quadra 5, nº 5, conjunto A, lote 17
  • Candangolândia – UBS 1 – Área Especial, quadra 5/7
  • Itapoã – UBS 1 – quadra 378, Área Especial, Del Lago
  • Planaltina – UBS 4 – quadra 2, Rua A, Área Especial, Planaltina – DF
  • Estrutural – UBS 1 – Área Especial 2, Avenida Central
  • Sobradinho 2 – UBS 2 – rodovia 420, Setor de Mansões N01

Fonte: Agência Saúde DF