Comissão de Direitos Humanos da CLDF recomenda que nenhuma instituição do DF celebre o Golpe de 64

155
Print Friendly, PDF & Email

Comunicado faz apelo em respeito às vítimas da Ditadura Militar no Brasil; medida se faz necessária diante do chamamento do presidente Jair Bolsonaro para que data seja ‘comemorada’

“O período da ditadura militar representou um drástico rompimento com as instituições democráticas brasileiras, e foi responsável por gravíssimas violações de direitos humanos incluindo assassinatos políticos, tortura e censura. A determinação presidencial merece repúdio por fazer apologia a tais práticas e incentivar sua ‘celebração’ por instituições públicas e privadas em todo o território nacional”, diz o comunicado assinado pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa, deputado Fábio Felix.

O objetivo é sensibilizar as instituições públicas e privadas para a necessidade de manter a Ditadura em seu lugar já reservado pela história: um regime que merece ser criticado, não reverenciado. “É imperativo respeitar a dor das vítimas dessas violências estatais, sendo, portanto, dever ético de todos aqueles que zelam pela vida, pela Constituição Federal e pelos direitos fundamentais e inalienáveis de todas as pessoas, impedir, usando todos os meios possíveis, que esse período seja comemorado”, ressalta o comunicado. No próximo dia 31, o golpe militar completa 55 anos.