Servidor da Secretaria de Saúde é preso em terceira fase da Operação Checkout do MPDFT

798


Print Friendly, PDF & Email

Daniel chegou a viajar para Orlando, nos Estados Unidos, com gastos pagos pela empresa Hospimetal, sustenta MPDFT 

Por Kleber Karpov

Na terça-feira (26/Mar), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), deflagrou a prisão do ex-subsecretário de Atenção à Saúde, atual diretor do centro de saúde 11, da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), o enfermeiro, Daniel Veras de Melo, na terceira fase da Operação Checkout. Melo é acusado de direcionar licitações em troca de recebimento de propina, em 2014, ocasião em que era gerente de Hotelaria da Secretaria de Saúde do DF (SES/DF).

Juntamente com Melo, Diogo Chagas e Elaine Rauber, todos, integrantes da SES-DF, também foram denunciados (18/Mar). De acordo com o MPDFT, o trio fraudou e frustrou o caráter competitivo do procedimento licitatório, destinado à aquisição de leitos hospitalares, com o intuito de obterem vantagens. Isso além de praticarem uma série de atos administrativos, voltados a favorecer a Hospimetal, contratada pela Secretaria de Saúde.

Também foi denunciado o representante legal da Hospimetal, Wiliam de Paula, responsável pelo aceite, em contratar com a Secretaria de Saúde, além de formalizar o direcionamento previamente decidido, fora dos autos do processo licitatório. Todos devem responder por peculato e fraude a licitação.

Publicidade

Wiliam de Paula deve responder ainda, por denúncia de corrupção ativa, enquanto Melo, Chagas e Elaine Rauber, por falsidade ideológica e corrupção passiva.

A primeira fase da Operação, deflagrada em junho de 2018, cumpriu 16 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo. O MPDFT investigou servidores da SES/DF e funcionários de empresas privadas envolvidos na possível fraude à licitação e corrupção na compra de macas, leitos de hospitais e outros tipos de mobiliários para unidades da rede pública.

A segunda fase, deflagrada em fevereiro de 2019, cumpriu diligências no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), na região administrativa Guará, além de uma empresa de turismo sediada na cidade de São Caetano do Sul(SP).

Com informações de MPDFDT