Profissionais de saúde pedem isonomia com demais carreiras do GDF

847


Print Friendly, PDF & Email

Por Franci Moraes

Em audiência pública que debateu a situação das carreiras de saúde na manhã desta terça-feira (19) no plenário da CLDF, os profissionais de assistência pública à saúde, médica, enfermeiro e cirurgião dentista pleitearam isonomia com as demais carreiras do GDF. Entre outras demandas, os profissionais desejam a última parcela do reajuste acertado em 2015 e a incorporação de gratificações.

O mediador do debate, deputado Jorge Vianna (Podemos), defendeu a reestruturação das carreiras. De acordo com Vianna, que é enfermeiro e atualmente preside a Comissão de Educação, Saúde e Cultura da CLDF, a carreira de saúde é a que tem o pior salário, ao citar que o piso do técnico de enfermagem é de R$ 1.300,00. Ao corroborar com o parlamentar, a presidente do Sindicato dos Enfermeiros (DF), Daye Amarílio, protestou contra a desvalorização dos servidores púbicos, fruto de “campanha covarde” do governo. Ela pediu melhorias nas condições de trabalho e equiparação salarial. Ao citar que os enfermeiros hoje têm um piso de R$ 1.700,00, Amarílio reforçou que os profissionais de saúde desejam isonomia com outras carreiras, a exemplo da área de segurança pública.

Vários servidores clamaram por valorização dos profissionais da saúde, tese defendida pela diretora do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem (Sindate-DF), Euza Aparecida.  “A campanha de difamação feita pelo governo quer desmontar as carreiras de saúde para poder privatizar e terceirizar”. Essa mudança, contudo, não irá resolver os problemas de atendimento à população, na avaliação da diretora. “Se não existe condições de trabalho para os servidores, não vai ter também para a iniciativa privada”, considerou.

Contas públicas – Valorização dos servidores e responsabilidade com as contas públicas são as orientações do atual governo, de acordo com secretária-adjunta de Gestão Administrativa, Jozélia de Medeiros. Ela garantiu que a terceira parcelada do reajuste, um dos pleitos da audiência, será paga, mas não precisou datas. “É direito do trabalhador receber a terceira parcela”, afirmou o secretário de Relações Parlamentares do DF, bispo Renato Andrade. Mas ele também reforçou a necessidade de adequação das contas públicas. Andrade destacou ainda o “empenho” do governador Ibaneis para cumprir as promessas de campanha.

Publicidade

“O momento é de promover a valorização do servidor”, destacou o subsecretário de Gestão de Pessoas da Secretaria de Saúde, Oziel Castro. “Cuidar de quem cuida” é uma preocupação, destacou, ao acrescentar que informatizar a Secretaria de Saúde é meta da atual gestão.

Durante a audiência, o deputado Jorge Vianna insistiu, diversas vezes, para que o governador faça o anúncio de um cronograma para o pagamento da terceira parcela. Aos representantes do governo presentes ele pediu também a garantia do pagamento de insalubridade nos casos de remoção de servidores. Vianna agradeceu ainda a presença dos alunos da área de saúde do Senac que acompanharam o evento.

Fonte: CLDF