Velhos problemas: Bebê de 12 dias diagnosticado com pneumonia precisa de leito em UTI

141


Print Friendly, PDF & Email

Ryan Almeida Lima nasceu saudável mas pegou pneumonia e precisa de UTI com urgência. O quadro é grave e exige cuidados

Ryan Almeida Lima ainda fará um mês de nascido, mas já luta pela vida. O bebê, que está completando 12 dias neste domingo (17/3), foi diagnosticado com pneumonia na última sexta-feira (15) e está internado no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), em estado grave. Ele precisa de um leito na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal.

Por volta das 21h desse sábado (16), a família de Ryan entrou com pedido de liminar na Defensoria Pública do Distrito Federal para conseguir a vaga em UTI especializada pública ou particular que ofereça o suporte necessário ao menino. Enquanto a decisão judicial não sai, os pais do bebê seguem aflitos.

“Ele nasceu saudável, no dia 5 de março, no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Ocorreu tudo bem com o parto e estávamos felizes. Dias depois, percebi que meu filho estava com a respiração cansada e gripadinho. Levei no Hmib para uma consulta e o médico diagnosticou a pneumonia. Como ele é muito pequeno, o estado é grave e exige cuidados”, conta a mãe, a empregada doméstica Elisete Almeida do Nascimento, 43 anos.

Metrópoles teve acesso ao relatório médico do paciente. O laudo informa que o bebê está “com quadro de pneumonia grave em ventilação mecânica e sedação continua.” O texto do documento diz ainda que o recém-nascido “necessita de leito de UTI neonatal com urgência que atenda às necessidades que o quadro exige.”

Publicidade

Veja o prontuário:

Imagem cedida ao Metrópoles/ Arquivo pessoal
Imagem cedida ao Metrópoles/ Arquivo pessoal

Elisete é mãe de outros quatro filhos, o mais novo com 19 anos, e conta que a gravidez de Ryan não foi planejada. “Não esperávamos, mas ficamos muito contentes com a chegada de mais uma criança.”

Ela pede atenção ao caso de seu bebê.

Estamos preocupados porque não sabemos quanto tempo ainda teremos que aguardar pelo leito. Nessa incerteza, o Ryan não melhora. Está respirando por aparelhos e isso nos deixa agoniados. Só quero que meu filho consiga ser transferido rapidamente.

Elisete Almeida do Nascimento, mãe de Ryan

O outro lado

Hoje, quatro crianças aguardam leitos em UTI neonatal. De acordo com a Secretaria de Saúde, Ryan está internado na sala amarela da pediatria do Hospital Materno Infantil de Brasilia, onde recebe toda assistência indicada ao caso, enquanto aguarda pela vaga.

“O encaminhamento do paciente para UTI depende da disponibilidade/vacância do leito especializado, que ocorre mediante alta (por melhora clínica, óbito ou transferência de estabelecimento de saúde) dos pacientes que já os ocupavam previamente, bem como da prioridade clínica (os casos mais graves são priorizados)”, explicou a pasta por meio de nota.

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, a Central de Regulação funciona 24 horas por dia e faz buscas constantes para verificar a disponibilidade de leitos que atendam as exigências de cada paciente.

Fonte: Metrópoles