Alagamentos de hospitais são consequências de redução no orçamento da Saúde aponta deputado

107
Print Friendly, PDF & Email

Jorge Vianna aponta necessidade de aumento de investimento em manutenções prediais

Por Kleber Karpov

Com as fortes chuvas de sábado (9/Fev), hospitais do DF voltaram a sofrer com alagamentos e infiltrações. Dentre esses, os regionais de Planaltina (HRPL) e do Gama (HRG), foram os mais castigados. Para o deputado distrital, Jorge Vianna (PODEMOS), uma das causas dos problemas constantes de enxurradas está relacionada a redução do orçamento da Saúde que afetam a manutenção das unidades de saúde.

No HRPL, servidores filmaram a ‘cascata’ que caiu da calha da iluminação, sobre camas na sala de descanso dos profissionais de saúde. No vídeo, um servidor, não identificado, alertou para a necessidade de se filmar o alagamento do local e denunciar o problema. “Tem que filmar, mandar para o jornal porque toda vez que chove é essa bosta.”. Em outro vídeo é possível ver profissionais de limpeza tentando retirar a água de corredores do hospital, proveniente de alagamento causado pelas chuvas.

Além do transtorno aos profissionais de saúde e pacientes, o perigo e riscos de acidentes são potencializados, tanto com curto-circuitos, a exemplo do que ocorreu há cerca de 15 dias, com o princípio de acidente no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), ou ainda no desmoronamento de forros de gesso, dos tetos das unidades de saúde.

Publicidade

Ao Política Distrital (PD), o distrital, Jorge Vianna alertou para a causa, de problemas estruturais das unidades de saúde do DF. Segundo o parlamentar, a falta de investimento e a redução ‘paulatina’ do orçamento da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), impactam diretamente em serviços, a exemplo da falta de manutenção preventiva nos hospitais.

“Ao longo dos anos, houve uma redução considerável no orçamento da Saúde. Há anos nós servidores da saúde acompanhamos alagamentos, desabamentos de tetos, infiltrações e até princípio de incêndios. E isso está ligado diretamente a falta de manutenção adequada das unidades da Secretaria de Saúde. Nós temos estruturas prediais velhas, cheia de ‘puxadinhos’ e sem manutenção predial for falta de recursos para realizar as manutenções prediais. E isso precisa ser revisto.”, disse Vianna.

O tema foi abordado por Vianna, na primeira sessão da Câmara Legislativa do DF (CLDF) (5/Fev)(Veja aqui), ocasião em que falou da necessidade de acabar com o corte de recursos na Saúde do DF.

O que diz a SES-DF

Questionada sobre o problema da estrutura da SES-DF, por meio de nota a Pasta reconheceu e lamentou o problema dos vazamentos e inundações dos hospitais, o que justificou o decreto de Estado de Emergência da Saúde. A Secretaria informou “que as manutenções prediais são realizadas por empresas terceirizadas.”. Porém, de acordo com a Secretaria, “os contratos da gestão passada, em sua maioria, não incluíam manutenção aos finais de semana. Todos esses contratos serão revisados e sofrerão ajustes.”.

Sobre o orçamento, a SES-DF alegou desconhecer os orçamentos para a Saúde, nos anos anteriores, em que estavam sob a gestão do ex-governador do DF, Rodrigo Rollemberg.

Em relação aos hospitais HRG, a SES-DF, observou que “está em fase de planejamento e levantamento de custo, um projeto de obras para uma reforma estrutural no Hospital Regional do Gama, que há anos vem recebendo apenas reparos pontuais.”.

Sobre o HRPL, a Secretaria informou que o problema foi pontual. Mas, que além dos dois hospitais, as demais unidades de saúde do DF “está passando por avaliação técnica para elaboração de projetos estruturais. Nenhum paciente precisou ser removido ou deslocado, pois somente a área de descanso dos médicos foi afetada. Devido ao grande volume de chuva no fim de semana, folhas foram arrastadas e entupiram as calhas de drenagem. Essas calhas foram desentupidas pelo plantão de manutenção do hospital. O teto não foi danificado. Já está em fase de projeto, com a engenharia, a reforma do telhado e aumento do escoamento das águas pluviais.”.