Após ‘decretão’, possibilidade de retorno de exonerados da Saúde do DF não deve acontecer, afirma vice-governador

2501
Print Friendly, PDF & Email

Para Paco Britto, casos isolados podem ser revistos

Por Kleber Karpov

Um áudio atribuído a um servidor da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), não identificado, deixou muitos profissionais de saúde revoltados. Após o ‘decretão’ publicado pelo governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), uma pessoa mandou mensagem para colegas sobre, tornar sem efeito, publicação de exoneração dos profissionais de Saúde. O vice-governador do DF, Paco Britto (AVANTE), por sua vez, negou tal possibilidade.

No áudio, o suposto servidor da SES-DF tranquiliza os colegas, sobre a exoneração em massa por meio do ‘decretão’. De acordo com o profissional de saúde, tal parecer, foi passado pelo provável secretario-adjunto de Gestão da Secretaria, Francisco Araújo, sobre a publicação que tornaria sem efeito a publicação do ‘decretão’, publicada no Diário Oficial de 1o/Jan.

“Acabei de falar com o Francisco, que vai ser o novo adjunto, que está com o Osnei [Okumoto, secretário de Saúde], e falou para tranquilizar todo mundo que amanhã [2/jan], vai tornar sem efeito o Diário, de hoje, a respeito da Saúde. Pediu para acalmar todo mundo que não é para ninguém desesperar, que ninguém vai ser exonerado não.”, disse.

Publicidade

Revolta

O caso revoltou servidores da SES-DF, contrários, a permanência, na gestão, de nomes vinculados ao ex-governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB) à frente da pasta. “Será que Ibaneis vai querer passar essa vergonha. E tornar sem efeito ato exonerando o povo da SES?”, questionou uma servidora, sob sigilo de identidade.

A servidora observou ainda a comemoração de profissionais de saúde de Ceilândia e Brazlândia, por causa da exoneração dos gestores da unidade. “A galera na Ceilândia e Brazlândia estava em festa. Mas esse áudio aí jogou gelo.”.  Comemoração essa, que remete, às unidades são vinculadas à região Oeste, a alta incidência de críticas e reclamações da prática de assédio moral, entre as regionais de saúde do DF.

Porém

Em reunião com o secretariado do GDF na tarde desta quarta-feira (2/Jan), o vice-governador do DF, tratou especificamente, sobre esclarecimentos das exonerações dos comissionados, publicadas no ‘decretão’ de Ibaneis.

Após a reunião, em entrevista à imprensa, questionado por Política Distrital (PD), Britto negou a reversão das exonerações dos comissionados vinculados a SES-DF. No entanto, Brito, afirmou que pode haver revisões, na Saúde e em outras pastas, mas somente para casos isolados.

“Pode ter revisão em algumas matrículas, não só na Saúde, como também em outras áreas, Conselhos tutelares, zoológicos, mas é exclusão. No decreto, diz que há suas exceções”, afirmou ao se referir ao ‘decretão’.

O secretario de Saúde, Okumoto, participou da reunião, mas por problemas com agenda, saiu antes que ocorresse as entrevistas coletivas concedidas pelo vice-governador e, também, o secretario de Estado de Comunicação, Weligton Luiz Moraes. Porém, em contato com PD, a noite, o SES-DF confirmou que “o decreto deve ser mantido como está.”.

Decretão

Na edição de 1, do DODF, Ibaneis publicou o Decreto nº 39.611, em que exonerou “titulares de cargos comissionados e de funções de confiança”, porém, com exceções, a exemplo de pessoas vinculadas a órgãos com as polícias militar, civil, bombeiros. Na Saúde, as excepcionalidades, se restringiram aos “dirigentes máximos de todas as unidades de saúde”.

Atualização: 02/01/2018 às 22h54

2

Comentário