Secretaria de Saúde distribui protetor solar, a menos de 30 dias do vencimento à servidores e comunidade

595


Print Friendly, PDF & Email

Use protetor solar, vencido. Desova?

Por Kleber Karpov

Na sábado (22/Dez), agentes Comunitários de Saúde (ACS) e de Vigilância Ambiental de Saúde (AVAS)  reclamaram, para o que apontaram como descaso por parte da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), a distribuição de protetor solar, com vencimento para janeiro, há cerca de um mês do vencimento. Os produtos, fabricados em janeiro de 2017, perdem a validade dois anos depois.

Em um aplicativo do Whatsapp, os ACS criticaram a postura da SES-DF, em encaminhar para a Região Norte, os protetores solares, prestes a vencer, com um agravante. Para distribuir, inclusive à comunidade, o produto de uso exclusivo dos profissionais de saúde, que vivem expostos ao sol.

“É revoltante. Deixaram os protetor solar vencer P depois distribuir p comunidade e servidores como se fosse brinde. (SIC)”, disse um servidor.

Publicidade

“Tem que ser denunciado junto ao Ministério Público e fazer uma denúncia na própria ouvidoria. Pois esses protetores só deveria ser entregue para os ACS e AVAS.(SIC)”, sugeriu outro.

Descaso

Outro servidor lembrou o descaso por parte da SES-DF em relação a entrega dos protetores solares. “Estavam distribuindo no posto P quem queria. Fiquei chateada pois vence em janeiro. E tem 3 anos q não recebemos.”, apontou outro servidor.

Não recebam

Questionados sobre o assunto, o vice-presidente do Sindicato dos Agentes de Vigilância Ambiental em Saúde e Agentes Comunitários de Saúde do Distrito Federal (SINDVACS/DF), Etieno de Sousa Pereira, orientou que os ACSs e AVASs se neguem a receber o produto prestes a vencer.

“O parecer do sindicato é para não receber o produto. Por mais que seja dentro do prazo de validade, não tem tempo hábil para poder consumir esse produto. Já está praticamente dentro do mês de vencimento, pois é no mês de janeiro de 2019.” disse ao observar que “O sindicato estuda medidas cabíveis para fazer a denúncia junto aos órgãos competentes.”, concluiu Pereira.

Contrassenso

A distribuição ocorre, no fim da gestão do secretário de Saúde, Humberto Fonseca, cotado para assumir a presidência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), na gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O caso, se soma aos tantos que corroboram para a péssima avaliação e derrota na reeleição do governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB). A dupla tem na saúde, a manutenção e ampliação dos principais problemas da gestão que se finda.

O que diz a SES

Questionada sobre o assunto, a SES-DF, retornou apenas para informar que “assim que possível, daremos o retorno.”.