Frejat diz ser contra Instituto Hospital de Base, durante reunião de transição

Ex-secretário questionou ‘incompetência’ de servidores, somente após gestão de Rollemberg

Por Kleber Luiz

Na tarde de segunda-feira (19/Nov), o ex-secretário de Saúde do DF, Jofran Frejat (PR), durante a reunião, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), para definição da transição do governo, para a Saúde, realizada pelo governador eleito, Ibaneis Rocha (MDB), se posicionou contrário a continuidade do Instituto Hospital de Base do DF (HBDF).

Publicidade

De acordo com Frejat, o modelo está fadado ao fracasso, sobretudo por manter, no mesmo espaço, servidores estatutários e celetistas. “Quando você bota estatutário e celetista com cargas horárias e salários diferentes, dá problema. Quando você faz esse tipo de diferenciação, não funciona. Vai ter briga permanente”, afirmou.

Sem citar nomes, Frejat frisou ainda que o funcionamento da Saúde do DF, se dará pela valorização dos servidores, em vez de mudança de modelo. “Ele [ o servidor público] tem uma capacidade enorme de fazer o trabalho. Como eles foram competentes na nossa época e não são mais? Ficaram bobos? Claro que não. A questão é dar condições para que eles façam um bom trabalho”, argumentou.

Transição

Frejat esclareceu ainda que deve colaborar na gestão da Saúde, durante o governo Ibaneis, porém, sem fazer parte oficialmente da estrutura, mas como uma espécie de curador de experiências. “Vou mostrar o que e como fizemos, como criamos os centros de saúde, os hospitais regionais e laboratórios”, comentou.

Duas secretarias

Também na reunião, Frejat ratificou o que havia adiantado ao Política Distrital (PD), sobre a divisão da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) em duas unidades, uma para gerir a Atenção Primária e uma segunda para os Hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

“Esse equívoco já se cometeu no passado. Acho que ele [Ibaneis] entendeu que não era uma boa ideia. Não tem problema ter um secretário e colocar quantos adjuntos quiserem. Quando foi colocado o secretário de saúde e o presidente da fundação hospitalar, os dois bateram cabeça”, lembrou.

Secretário de Saúde

Durante a reunião ficou definido um novo encontro, na terça-feira (20/Nov), para a definição dos nomes que devem compor o processo de transição do governo, na Saúde. Embora ainda sem definição, é possível que o vice-presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SINDMÉDICO-DF), Carlos Fernando, seja o responsável por compor tal equipe.

A expectativa é que ainda nessa semana, Ibaneis deve definir o nome do novo secretario de Saúde.

Com informações de Metrópoles

 

 

 

Artigo anteriorVianna atua nos bastidores para eleger presidente da CLDF
Próximo artigoEscolta hospitalar de preso por policial civil configura desvio de função