Oposição burra não consegue barrar crescimento do pior governador de Brasília

449


Print Friendly, PDF & Email

Mesmo ainda com a alta rejeição, por causa de uma gestão desastrosa que acabou com o DF neste últimos quatro anos, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) pode chegar ao segundo turno das eleições e contar ainda com o apoio de grupos que se alto intitula de oposição ao atual governo

Por Toni Duarte

“Tudo farinha do mesmo saco”, disse um cidadão comum, morador de Samambaia, durante a passagem pela cidade do candidato ao Buriti Rogério Rosso (PSD) nesta sexta-feira (24/08). Rosso prometeu refeições em restaurantes comunitários ao preço de 1 real, caso se eleja governador.

Enquanto a chamada oposição faz promessas bizarras como a candidata do Psol que vai dá metrô de graça para carregar o povo nos dias de domingo, bem como Alberto Fraga que vai implantar um posto policial em uma feira da cidade e Eliana Pedrosa que declarou guerra contra os pardais, o pior governador da história de Brasília é quem mais vem crescendo, apesar da rejeição altíssima pelas  últimas pesquisas realizadas no DF

Quatro candidatos estão empatados tecnicamente na pesquisa Ibope para o governo do Distrito Federal, divulgada na noite desta sexta-feira (24). Numericamente, Eliana Pedrosa, do Pros, está na primeira colocação, com 14% das intenções de voto, seguida pelo atual governador Rodrigo Rollemberg (PSB), com 12%.

Publicidade

Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos, os candidatos Alberto Fraga (DEM), com 10%, e Rogério Rosso (PSD), com 8%, também estão tecnicamente empatados.

Dois dias antes, na quarta-feira (22), o Datafolha divulgou pesquisa apontando os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo do Distrito Federal: Eliana Pedrosa (Pros): 15% Rodrigo Rollemberg (PSB): 14% Rogério Rosso (PSD): 13% e Alberto Fraga (DEM): 8%. Como se observa Rollemberg toma fôlego na corrida.

Nas pesquisas anteriores ao primeiro dia de campanha eleitoral, iniciado no último dia 16, Rollemberg não passava da marca de um digito, enquanto a sua rejeição beirava 80%.

Pelos últimos cenários, o socialista estará no segundo turno e há probabilidade de contar com a ajuda de alguns “oponentes” menos de Alberto Fraga (DEM) e Ibaneis Rocha (MDB), na disputa final.

Os discursos dos candidatos são a causa do grande números de eleitores indefinidos que até agora não sabem em que votar ou que já decidiram votar nulo em sete de outubro.

Os candidatos incorporaram o discurso voltado aos setores do serviço público como se Brasília fosse uma população formada unicamente de servidores. Rollemberg acha graça da oposição de mentirinha.

Fonte:  Radar-DF