Por ‘dar barato’ e causar mortes, CCJ na Câmara Legislativa aprova proibição de buzinas de pressão no DF

183
Print Friendly, PDF & Email

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou nesta semana um projeto de autoria da deputada distrital Luzia de Paula (PSB), proibindo, no DF, a produção, distribuição, comercialização e uso de buzina de pressão, popularmente conhecida também como “buzina do barulho” ou “buzina da alegria”, produzida à base dos gases propano e butano envasados em tubo aerossol.

A parlamentar alega que o uso desse tipo de buzina pode lesionar o aparelho auditivo, além de causar, se inalado seus gases, a sensação de euforia, excitação psicomotora e desorientação espacial, podendo, ainda, produzir danos no fígado e na medula óssea, bem como problemas psicomotores.

O gás da buzina tem ação no músculo cardíaco, tornando o coração muito sensível à ação de catecolaminas, moléculas presentes no corpo que normalmente mantêm o órgão e a circulação sanguínea funcionando, mas que produzem arritmias graves e frequentemente fatais, como a taquicardia ventricular, que pode causar enfarte agudo do miocárdio, sobretudo em pessoas que já têm algum problema cardíaco.

Publicidade

“Não são raras as notícias dando conta da morte de jovens devido a inalação dos gases das buzinas. Mesmo diante da sua comprovada capacidade de provocar sérios danos à saúde, elas têm sido comercializadas livremente para fins de diversão, sem nenhum cuidado. O absurdo é que recomendam o seu uso para crianças a partir dos três anos de idade, o que para mim é inadmissível”, relata Luzia de Paula.

O projeto segue agora para ser analisado em plenário, e, após aprovado, será submetido à sanção do Governador do Distrito Federal.

Fonte: Ascom Luzia de Paula

Artigo anteriorRollemberg tenta escapar mas TJDFT determina reconstrução de escola em Samambaia
Próximo artigoSaúde Infantil: prioridade na Constituição, abandono em Brasília