Centro Cirúrgico do HRAN está jogado às moscas, denuncia servidor

Sala é transformada em depósito e serve como criadouro de mosquito

Por Kleber Karpov

Um servidor do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) denunciou ao Política Distrital (PD), na manhã de segunda-feira (2/Abr), que o Centro Cirúrgico (CC) está, “literalmente”,  jogado às moscas. Sob sigilo de identidade, o profissional de Saúde, afirmou que além de se tornar criadouro de pernilongos e, até mosquitos da dengue.

Publicidade

“O Centro cirúrgico da unidade está literalmente ás moscas!, sim!, é impossível ficar lá dentro com a grande quantidade e pernilongos , mosquitos da dengue e moscas que voam o tempo todo dentro da unidade no qual são vistas frequentemente pousando em pacientes sendo operados contaminando toda cirurgia, os servidores permanecessem tempo todo usando repelentes e usando uma raquete comprada.”.

Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

O servidor também aponta ainda outros problemas. A utilização do CC para depositar equipamentos quebrados e o ar condicionado com defeito fazem parte da listagem de sucateamento da sala de operações que causam preocupações.

“Dentro do setor é comum ver materiais em desuso e quebrado. O centro cirúrgico do HRAN está virando deposito de entulho aumentando ainda o aparecimento de escorpiões onde até uma enfermeira já foi picada e nada foi feito. Outro grave problema é o ar condicionado que não funciona direito, apenas ventila, onde sempre é visto cirurgiões pingando suor dentro da barriga do paciente aberta.”, afirmou.

GaD?

Ainda de acordo com o servidor, a gestão do CC é realizada à distância. Segundo o profissional de saúde, “o médico chefe do centro cirúrgico coordena o setor apenas pelo Whatsup, raramente vai até o hospital.”, disse ao pedir ajuda ao PD.

A outra parte

Em nota a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) refutou a denúncia. A pasta alegou que o HRAN conta com oito salas no CC e que seis estão “em pleno funcionamento”. A SES-DF negou ainda haver infestação de moscas, mosquitos e escorpiões, alegou que quando o ar condicionado apresenta problemas pontuais, que é devidamente concertado, além de afirmar que o gerente  das clínicas cirúrgicas trabalha diariamente.

“A direção do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) nega a infestação de moscas, mosquitos e escorpiões em qualquer unidade. O centro cirúrgico do HRAN dispõe de oito salas e seis estão em pleno funcionamento. A diretoria administrativa destaca que mensalmente é feita desinsetização no hospital, visando principalmente acabar com baratas, principal alimento dos escorpiões. Sobre o ar condicionado, quando o equipamento apresenta problemas pontuais, a empresa responsável é chamada para manutenção preventiva e corretiva. A direção do HRAN esclarece que o gerente das clínicas cirúrgicas está todos os dias no hospital, assim como a supervisora de enfermagem.”.

Artigo anteriorSuperlotação: Hospital Regional do Paranoá decreta bandeira vermelha
Próximo artigoLaerte Bessa assume presidência da Comissão de Segurança Pública na Câmara dos Deputados