Sinpol-DF: Crimes aumentam nas ‘satélites’ durante realização do Fórum Mundial da Água

188


Print Friendly, PDF & Email

Levantamento do Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) aponta aumento nos índices em várias modalidades criminais, durante o período de realização do Fórum Mundial da Água. Na semana de 19 a 23 de março houve grande mobilização policial na área central de Brasília e pelo menos três operações da Polícia Civil.

Durante a semana, foram registrados 4 homicídios consumados e 5 tentativas de homicídio. O que mais repercutiu foi o assassinato de um homem de 35 anos no Setor Hoteleiro Sul. Outros crimes também foram registrados na área central, apesar de milhares de policiais militares multiplicarem a presença no eixo monumental, local de concentração dos participantes do Fórum Mundial. Somente na área de abrangência da 5ª DP foram comunicados 7 furtos de veículos, 2 roubos (com violência) de veículos, 9 furtos em interior de veículos, 6 furtos de celulares, 14 roubos a transeuntes, 14 furtos diversos e outras dezenas de outras ocorrências de outras naturezas.

Ao longo de pouco mais de 4 dias, foram registrados 64 roubos de veículos e 60 furtos de veículos. A média de roubos de veículos nos dois primeiros meses de 2018 ficou entre 10 e 12 veículos por dia. Na semana do Fórum, esse número subiu para mais de 15 por dia. Os furtos de veículos em média 12 ou 13 por dia, também subiram para 15 por dia durante o evento.

Os roubos a coletivos, que durante fevereiro foram entre 4 e 5 por dia, aumentaram para praticamente 7 diários, uma vez que entre segunda e a manhã desta sexta-feira foram registrados 31 casos. Os furtos de celulares mantiveram a tendência de alta dos meses de janeiro e fevereiro de 2018. Foram computados 134 registros nos últimos 4 dias. Media de quase 40 casos por dia, quando nos dois primeiros meses do ano foi de 34 em janeiro e 28 em fevereiro.

Mas o que mais aumentou nos 4 dias de Fórum da Agua, segundo o levantamento, foram os roubos a pedestres. Enquanto janeiro e fevereiro apresentaram uma média diária entre 85 e 90 roubos a transeuntes, a semana em que aconteceu o evento internacional e as operações da PCDF os números tiveram aumento exponencial. No dia 19, foram 110 casos; no dia 20, foram 136 casos; no dia 21, 137 registros e; no dia 22, 115 ocorrências. Uma média diária de 124 ocorrências para esse tipo de grave natureza criminal.

Publicidade

“Os números revelam que as políticas de segurança pública não têm surtido o efeito esperado de redução do crime e isso é fruto da falta de investimento no setor. Enquanto o governador se diz preocupado com a questão da água, sua gestão não conseguiu sequer preparar a cidade para um evento tão importante. Vidas estão sendo perdidas e bens sendo tirados dos cidadãos enquanto isso”, comenta Rodrigo Franco Gaúcho, presidente do Sinpol-DF.

“A decisão do governo de concentrar milhares de policiais militares apenas na região do plano piloto pode ter ocasionado na maior incidência criminal nas cidades satélites. Houve portanto uma escolha de se dar uma aparência de normalidade para os turistas que frequentaram a região central. Enquanto isso, a população residente e trabalhadora sofreu e  teve mais prejuízos nos ataques diários da criminalidade ao patrimônio dos brasilienses”, concluiu Gaúcho.

Fonte: Sinpol-DF