IHBDF: Pacientes acamados e internados ficam até dois dias sem tomar banho, por falta de lençóis

725


Print Friendly, PDF & Email

Antes nós ainda recebíamos ao menos um pouco e nos virávamos. Agora, estamos sem nada.”, afirma servidora da SES lotada no IHBDF

Por Kleber Karpov

Com orçamento de R$ 800 milhões, e com dois meses de novo modelo de gestão, servidores da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), lotados no Instituto Hospital de Base do DF (IHBDF) reclamam que conversão ainda não saiu do papel. Na manhã desta quinta-feira (1/Mar), uma médica denunciou ao Política Distrital (PD) que, por falta de lençóis, os pacientes internados e acamados estão há dois dias sem tomar banho. Sob sigilo de identidade, a profissional de saúde questionou as mudanças.

“Olha esse instituto até agora ficou só no papel. Nós continuamos com os mesmos problemas e agora, depois do Instituto, a coisa piorou. Para você ter uma ideia, Temos pacientes acamados e também internados, que ficaram sem tomar pois dois dias. Antes nós ainda recebíamos ao menos um pouco e nos virávamos. Agora, estamos sem nada. E os pacientes ficam nessa situação deplorável com risco de contrarirem infecção hospitalar. Agora eu te pergunto, cadê a lavanderia?”, questionou.

Questionada se há dificuldade de conseguir lençóis de outros hospitais, em decorrência da conversão do Hospital de Base em instituto a médica não soube confirmar tal relação. “Não sei lhe dizer ao certo pois pode estar faltando em todos os hospitais. Mas o que posso dizer de forma concreta é que antes ainda conseguiamos um pouco e agora estamos zerados.”, reafirmou.

Publicidade

MPDFT

A médica questionou a ausência do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) em relação à gestão do IHBDF. “Seria interessante e considero preocupante se o Ministério Público, um dos principais abalizadores dessa mudança para o Instituto, não acompanhar, de perto, a gestão desse hospital. Não se pode esquecer que estamos falando do maior hospital do DF e responsável pelos atendimentos de média e alta complexidade.”, disse.

Enquanto isso…

Em outra ocasião (27/Fev), a médica já havia questionado os salários pagos aos gestores do IHBDF e cobrou a publicação desses proventos no Portal da Transparência do GDF.

É interessante checar pois enquanto falta de tudo no hospital, os gestores do Instituto, parece que estão recebendo salários bem pomposos, totalmente aquém dos pagos aos gestores da Secretaria. Há rumores que diretores recebem entre R$ 17mil e R$ 35 mil, gerentes R$ 14 mil e chefes R$ 7 mil, Todos contratados pela cláusula do notório saber. Para ter uma ideia da diferença de salário no caso das chefias, os servidores públicos ganhavam um adicional de R$ 800,00. Isso tem que ser publicado no portal da Transparência.”, sugeriu.

A outra parte

Por meio de nota, a SES-DF informou que o IHBDF dever receber, ainda nesta quinta, parte do estoque necessário para o hospital. “O Instituto Hospital de Base (IHB) informa que hoje receberá 30% do total de novos lençóis que estão em processo de confecção e silcagem, com a logomarca do IHB. Este quantitativo será usado na emergência e na UTI. Os outros 70% serão entregues nas próximas três semanas.”.

Em relação ao salários, a SES-DF informou ao PD (27/Fev) que “os salários pagos aos seus profissionais com cargos de gerente, chefe e diretor são: Gerente: R$10.834,66 a R$13.787,76; Chefe: R$5.032,40 a R$9.000,00 e Diretor: R$18.000 a R$23.634,00.