Gutemberg Fialho se filia ao PR e quer, com Jofran Frejat, resgatar a Saúde do DF

Print Friendly, PDF & Email

Pré-candidato a deputado distrital, sindicalista reforça peso da classe médica contrária ao governo de Rodrigo Rollemberg

Por Kleber Karpov

Na noite de quarta-feira (21/Fev), o presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SINDMÉDICO-DF), Gutemberg Fialho se filiou ao Partido da República (PR), legenda em que deve concorrer a vaga de deputado distrital nas eleições desse ano. O evento de filiação ocorreu no auditório do sindicato e contou com a presença de políticos e representantes de entidades ligadas à Saúde e de outros segmentos.

Publicidade

Com a mesa, composta pelo presidente e do vice, do PR, José Salvador Bispo de Oliveira e Alexandre Bispo, do pré-candidato ao GDF, Jofran Frejat, além do Senador Hélio José (PROS-DF), deputado federal, Laerte Bessa (PR-DF), o distrital, Raimundo Ribeiro (PPS) e do médico, Dr. Adriano, o sindicalista sacramentou a filiação ao partido que deve engrossar o caldo da oposição ao governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB).

Durante a solenidade, Hélio José ponderou que a filiação de Fialho ao PR enriquece a campanha de Frejat na disputa ao GDF. O senador lembrou ainda a “incompetência” do governo em executar emendas, a exemplo dos R$ 150 milhões destinados pela Bancada do DF no Congresso Nacional, para a construção do Hospital do Câncer do DF.

Bessa afirmou ser o mais feliz com a filiação de Fialho ao partido, isso porque passou a ter “um parceiro para falar desse vagabundo que é o Rollemberg” ao frisar a incompetência do governador para escolher até mesmo a assessoria.

Ribeiro também não deixou por menos, ao criticar a falta de gestão do DF. O distrital lembro ainda que ao longo da atual legislatura da Câmara Legislativa do DF (CLDF), Fialho se faz presente, incansavelmente, para defender os interesses da classe médica e da população do DF.

Frejat por sua vez lembrou que a Saúde do DF foi referencial para todo país assim como para a comunidade internacional. O pré-candidato ao GDF criticou o desmonte da saúde pública, a exemplo da finalidade dos centros de saúde e da inovação do secretário de Saúde do DF, em relação a atenção primária.

“Eu vejo hoje com tristeza, que estão pegando os colegas de várias especialidades, diz você vai treinar por tantos dias, e você agora que é pediatra, você vai colocar um DIU naquela senhora lá. Eu quero ver como ele vai colocar esse DIU.”, ironizou ao lembrar que os profissionais de saúde estão desmotivados e insatisfeitos, além de terem se tornado saco de pancada da gestão da Saúde.

As palavras de ordem de Gutemberg foram resgate e reconstrução. Nesse contexto, o sindicalista se colocou a disposição para ajudar Frejat para ajudar a “reconstruir a saúde do DF”, a começar por “desfazer e resgatar o atendimento na atenção primária”, disse.

Fialho questionou as remoções de médicos especializados para atender em outra área para atuar como generalistas na atenção primária, o que na avaliação do pré-candidato a deputado distrital, colabora com o aumento da desassistência, assim como os óbitos evitáveis.

O sindicalista também se colocou a disposição para desfazer o que chamou de “início da terceirização”, ao se referir ao Instituto Hospital de Base do DF (IHBDF).

O pré-candidato além lembrou a falta de gestão que atinge outros setores da gestão pública sob comando de Rollemberg a exemplo da Segurança Pública, com a falta de segurança, a perda da paridade salarial da Policia Civil com a Polícia Federal e problemas enfrentados por Policiais Militares; Na Educação por falta de escolas e de ensino de qualidade, e até mesmo na infraestrutura ao lembrar os casos recentes de desmoronamentos de viadutos e da falta de manutenção que pode comprometer outras estruturas viárias.

Artigo anteriorSem dar nome aos bois, Secretaria sugere ataque de ‘grupos’ ao abordar decisão do TCDF sobre gratificação de titulação de servidores da Saúde
Próximo artigoSinpol divulga balanço das primeiras 24 horas de greve da PCDF