Sindicatos reagem ao parcelamento de salários dos servidores públicos do DF

Print Friendly, PDF & Email

Entidades devem lançar, em setembro, Frente em Defesa do Serviço Público.

O vice-presidente do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal (SindMédico-DF), Carlos Fernando, participou, na noite desta terça-feira (23), de uma reunião com entidades civis, sindicais, sociais e populares para discutir o lançamento da Frente em Defesa do Serviço Público. A ideia da proposta é construir uma unidade para lutar contra o desmonte do serviço público, especialmente neste momento em que o governador Rodrigo Rollemberg anuncia o parcelamento dos salários de 22% da categoria.

“Nós passamos, no início do governo, uma situação que foi a ADIN, que o Rollemberg queria suspender o reajuste do plano de carreira de salários. Nesse momento, lembro que nós nos unimos, montamos uma estratégia e do ponto de vista jurídico estávamos respaldados. E fizemos um movimento comprometido, com representação. Agora, precisamos nos unir e fazer o mesmo. Porque, além de querer parcelar nossos salários, o governador também não nos oferece condições de trabalho”, afirmou o vice-presidente do SindMédico-DF, Carlos Fernando.

O deputado Wasny de Roure também participou do debate, que ocorreu na sede do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF) e destacou que a saúde pública do DF é quem mais sofre com os constantes ataques do GDF. “Precisamos levar denúncias da estratégia de gestão do GDF, que é de constante ameaça e intimidação do servidor público. Este instrumento que estamos trabalhando hoje é decisivo para barrar todo tipo de ataque ao funcionalismo público”, apontou.

Publicidade

O atual presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle, compareceu ao encontro e salientou que “a consequência de um atraso de salário aqui é nefasta, porque nossa cidade depende do serviço público”. Chico Vigilante também participou do debate.

Celina Leão, Ricardo Valle e Chico Leite enviaram representantes para a reunião.

O lançamento da Frente em Defesa do Serviço Público deve acontecer no dia 05 de setembro, uma terça-feira, e é importante que todos os sindicatos mobilizem suas categorias para a data.

Fonte: SindMédico-DF

Artigo anteriorDistritais criticam projeto que institui previdência complementar para servidores
Próximo artigoOperação Genebra: terceira fase cumpre quatro mandados de busca e apreensão